MENU

Mãe de resgatada após 3 dias diz que filha está triste por perder Carnaval

Mãe de achada em rio vê filha triste, sem folia

Atualizado: Terça-feira, 31 Janeiro de 2012 as 2:32

A jovem Karolyne Laila Soares, de 19 anos, ainda aguardava na manhã desta terça-feira (31)  a realização de cirurgias  para reparar fraturas causadas pelo acidente que a deixou três dias à espera do resgate em uma rodovia na cidade de Populina, no interior de São Paulo. 


Segundo sua mãe, Fátima Carvalho Soares, Karolyne se recupera bem e, ansiosa por sair da Unidade de Terapia Intensiva (UTI), lamenta a possibilidade de ter que passar o Carnaval em recuperação. "Eu disse que agora ela tem a vida inteira para fazer isso, o importante é que ela sobreviveu", diz Fátima.


De acordo com a mãe, Karolyne saiu de casa, em Iturama, na quinta-feira (26) por volta das 20h, com destino à casa da avó, que mora na cidade de Alexandrita. Antes de chegar, ela mudou o trajeto para visitar alguns amigos em Jales. Ela foi achada no domingo (29) em um buraco às margens da Rodovia Eliéser Montenegro Magalhães.
“Foi isso que dificultou as buscas, porque procuramos em um percurso que ela não fez. Nós voltávamos para casa na estaca zero. Sem ter notícias cheguei a pensar o pior, queria encontrá-la viva ou morta. Graças a Deus encontrei com vida”, disse.

Fátima disse que a filha não se recorda de detalhes do acidente. “O que a Karolyne lembra foi que dormiu. Ela só acordou no outro dia e viu que tinha sofrido um acidente. Muito ferida, ela viu o porta-malas aberto e escorregou para fora do carro segurando um notebook para apoiar a cabeça e não se machucar. Ela disse que gritou muito, chegou a ficar sem voz, mas ninguém ouviu”, contou.
Cansada de pedir socorro gritando, Karolyne teria tentado chamar atenção de outras formas. “Ela conseguiu uma sacola plástica e pegou um galho longo. Grudou a sacola nele e ficou balançando para ver se alguém a via e a tirava de lá, mas ninguém apareceu. Ela tentava subir o barranco, mas como a terra estava fofa e ela muito machucada, não conseguia subir”, disse.

Karolyne sobreviveu, pois tomou água dentro do barranco. “Minha filha disse que tinha consciência de que, se não tomasse aquela água, morreria. Ela viu a água suja, viu sapos nela, mas disse que não teve escolha porque tinha vontade de viver”, contou.
Segundo Fátima, que acompanha a filha no hospital, Karolyne está bem e vai se recuperar logo. “Aparentemente, da cintura para cima, ela está bem, apesar de tudo. Mas os braços e pernas estão muito esfolados, de tanto se arrastar para pedir ajuda”, disse.
Apesar do susto, Karolyne está animada, mas já lamentou a possibilidade de perder uma data que ela adora comemorar com os amigos. “Ela me disse que está triste porque agora não poderá ir ao Carnaval”, contou Fátima.

Estado de saúde
Segundo informações do hospital, nesta terça-feira (31), as enfermeiras de plantão cuidaram de Karolyne durante toda a madrugada e a jovem permaneceu lúcida, comendo normalmente e o estado de saúde é estável. Caroline deve passar por duas cirurgias, segundo informações do médico cirurgião geral e chefe da UTI da Santa Casa de Fernandópolis, Fernando Bertucci.

A estudante está  na UTI do hospital, com quadro de desidratação, anemia e possível infecção. “Por mais que a água que ela tomou tenha sido essencial para sua sobrevivência, existe o risco de infecções pela provável contaminação. Ela também perdeu muito sangue e ficou com ferimentos expostos à água, o que contribui para a piora do quadro”, explicou o médico.

Karolyne também quebrou a bacia, mas não será preciso cirurgia nessa parte do corpo. A operação será no tornozelo e no fêmur da perna esquerda, que foram fraturados. Ainda segundo Bertucci, ela ficará na UTI sem previsão de alta.


Acidente e desaparecimento
A estudante perdeu o controle da direção do carro, caiu em um buraco perto da divisa entre São Paulo e Minas Gerais. O resgate aconteceu no domingo (29), três dias depois do desaparecimento dela, segundo familiares.
O acidente ocorreu a cerca de 50 quilômetros da casa da garota. Karolyne tentou pedir socorro, mas não foi ouvida. Segundo o Corpo de Bombeiros, ela sobreviveu por ter conseguido sair do carro se arrastando e beber água acumulada no local.
Para resgatar a jovem foram deslocadas equipes do Corpo de Bombeiros e do Samu de Ouroeste, também interior paulista.

veja também