MENU

Mãe que perdeu filhos em incêndio havia saído para ir a creche em SP

Mãe que perdeu filhos em incêndio havia saído para ir a creche em SP

Atualizado: Terça-feira, 29 Novembro de 2011 as 1:22

Defesa Civil avalia casa que pegou fogo na Zona

Norte de SP (Foto: Juliana Cardilli/G1) A mulher de 23 anos que perdeu dois de seus quatro filhos em um incêndio que atingiu a casa onde mora na região da Brasilândia, Zona Norte de São Paulo, havia saído para levar uma das crianças à creche, segundo informaram parentes na manhã desta terça-feira (29). O fogo começou por volta das 7h e atingiu o cômodo onde estavam as crianças – no momento do incêndio, os outros três filhos da mulher e um irmão dela, de apenas 7 anos, estavam sozinhos na casa.

Duas crianças – um menino de 7 anos que tinha problemas físicos e mentais e uma menina de 7 meses – morreram no incêndio. As outras duas crianças que estavam na casa, uma menina de 3 anos e um menino de 7 anos, foram socorridos pelo porteiro José de Souza, tio das crianças. “Minha mulher estava saindo para trabalhar e gritou que tinha fogo. Eu corri, arrombei a porta e consegui tirar dois, os outros eu não consegui”, contou ele, bastante abalado, nesta manhã. “Eles vinham correndo para abrir a porta. Não tinha como entrar mais para tirar os outros dois. Fui na laje, arrebentei a caixa d’água para apagar o fogo.”

Mãe de vítimas foi levada para hospital após receber notícia da morte dos filhos (Foto: Alexandre Ribeiro/Futura Press/G1) Três equipes do Corpo de Bombeiros foram até o local para combater as chamas, mas o fogo foi contido pelos próprios moradores. As duas crianças que sobreviveram e a mãe delas foram levadas para o pronto-socorro do Hospital Vila Nova Cachoeirinha e estavam em observação nesta manhã. Elas não tiveram ferimentos.

Tio conseguiu salvar duas crianças de incêndio

(Foto: Juliana Cardilli/G1) O pai das crianças trabalha como pedreiro e costuma sair por volta das 5h para trabalhar – nesta terça, ele foi para Guarulhos, na Grande São Paulo. Todos os dias, por volta das 5h, a mãe saía com um dos filhos, um menino de 4 anos, para levá-lo até a perua que o transporta à creche. Os outros três filhos permaneciam em casa. O irmão da mulher, também de 7 anos, não morava na casa.

“Ela não tem quem olhe as crianças para ela, e precisa sair para levar o outro na creche. Mas sempre tem alguém por perto, tem família que mora do lado”, contou Tábata Ribeiro da Silva, tia das crianças.

Ela contou que a mulher ficou muito abalada quando soube do ocorrido. “Quando ela chegou, depois de levar o filho na creche, ficou sabendo e se jogou no chão, ficou muito nervosa”.

Nesta manhã, a perícia era aguardada para que os corpos pudessem ser retirados. A Defesa Civil foi acionada e técnicos estavam no local nesta manhã para avaliar as condições da casa, que fica em uma viela em meio a várias outras construções. Um engenheiro era aguardado para avaliar se houve danos na estrutura e se será necessária uma interdição.

Segundo a Defesa Civil, os vizinhos contaram que é possível que o fogo tenha começado quando algumas das crianças dentro da casa brincavam com fósforos. Entretanto, as causas ainda não foram identificadas.        

veja também