MENU

Mais de 2 mil pessoas vão a enterro de vítimas de acidente de ônibus

Mais de 2 mil pessoas vão a enterro de vítimas de acidente de ônibus

Atualizado: Sexta-feira, 18 Novembro de 2011 as 1:28

Enterro em Santo Antônio do Descoberto, no Entorno

do DF, de vítimas de acidente com ônibus em SP

na última terça-feira (Foto: Reprodução/TV Globo) Cerca de 2 mil pessoas acompanharam nesta sexta-feira (18), em Santo Antônio do Descoberto (GO), o enterro de seis vítimas do acidente com um ônibus de romeiros que tombou em uma rodovia de São Paulo na terça-feira (15). Outra vítima foi enterrada em Brasília nesta manhã.

No acidente, em Pindamonhangaba, no interior de São Paulo, morreram dez pessoas . Os outros três mortos no acidente foram enterrados nesta quinta-feira à noite – dois deles em Santo Antônio do Descoberto e um em Taguatinga, no Distrito Federal.

O ônibus saiu de Santo Antônio às 19h da noite de sexta-feira passada (11) rumo a Aparecida . O veículo foi parado na BR-040 pela Policia Rodoviária Federal e multado em R$ 4,9 mil porque não tinha autorização da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para viagens interestaduais. Um dos motoristas também foi multado, porque estava com a carteira de habilitação vencida. Devido à falta de outro ônibus para acomodar os passageiros, a polícia determinou que o motorista voltasse para Santo Antônio do Descoberto. O motorista, porém, teria desobedecido à ordem e seguido viagem após pegar um desvio pela BR-060.

O motorista e dono da empresa El Shaday, proprietária do ônibus, Isac Correia de Almeida chegou ontem a Brasília. O advogado dele, Jarley Brito, apresentou um documento mostrando que o ônibus havia passado por uma inspeção técnica recente na ANTT e que havia pedido ao órgão licença para realizar viagens.

Brito disse que a ordem para que o ônibus seguisse viagem mesmo depois da determinação da polícia para que ele voltasse à cidade goiana foi do dono da empresa LDTur, que organizou a excursão.

O dono da LDTur, Ednilson dos Santos, negou. Ele declarou ter sido informado que o veículo estava irregular por intermédio de um funcionário que estava na excursão e que morreu no acidente. Santos afirmou que em nenhum momento pediu que o ônibus seguisse viagem.

veja também