MENU

'Maldição dos monarcas' assombra 'O discurso do rei' no Oscar

'Maldição dos monarcas' assombra 'O discurso do rei' no Oscar

Atualizado: Terça-feira, 22 Fevereiro de 2011 as 10:55

Pode até parecer que os votantes da Academia sejam um bando de puxa-sacos das monarquias considerando a tradicional adoração de tudo o que é inglês na cerimônia. Mas os reis e rainhas britânicos geralmente saem perdedores na festa do Oscar.

Se "O discurso do rei", uma saga sobre o pai da Rainha Elizabeth II, conseguir sustentar o status de favorito a levar o prêmio de melhor filme, no domingo (27), terá sido o primeiro filme com um monarca britânico como figura central a vencer o troféu mais concorrido da Academia em 83 anos de história do Oscar.

Dois longas-metragens que tinham um rei ou rainha britânicos como personagens coadjuvantes - "O homem que não vendeu sua alma", de 1996, e "Shakespeare apaixonado", de 1998 - já venceram como melhor filme, mas os candidatos que traziam um monarca no papel principal sempre perderam a disputa pelo prêmio máximo da noite. A lista inclui: "Os amores de Henrique VIII" (1933), "Henrique V" (1946), "Becket" (1964), "O leão no inverno" (1968), "Ana dos mil dias" (1969), "Elizabeth" (1998) e "A rainha" (2006).

Atores que interpretaram monarcas britânicos se deram um pouco melhor, com vitórias na categoria para Charles Laughton, como protagonista de "Os amores de Henrique VIII"; Katharine Hepburn, como a rainha de Henrique II, Leonor da Aquitânia, em "O leão no inverno"; e Helen Mirren como Elizabeth II em "A rainha". Judi Dench ganhou um Oscar de atriz coadjuvante como Elizabeth I, em "Shakespeare apaixonado".

Favorito na categoria melhor ator neste ano, Colin Firth, que interpreta o pai da atual rainha, George VI, deve se juntar a esta lista de vencedores no domingo, ainda que Helena Bonham Carter, como sua esposa, a futura Rainha Mãe Elizabeth, tem poucas chances de ficar com o prêmio de atriz coadjuvante.

Os perdedores superam de longe os vencedores: 13 dos 17 atores indicados por terem feito um papel de rei ou rainha britânicos perderam.

Dois atores perderam duas vezes interpretando o mesmo monarca - Peter O'Toole como Henrique II em "Becket" e "O leão no inverno" e Cate Blanchett como Elizabeth I em "Elizabeth" e em sua sequência de 2007, "Elizabeth: A era de ouro".

Laurence Olivier perdeu duas vezes, interpretando dois reis diferentes em adaptações de Shakespeare: "Henrique V", de 1946, e "Richard III", de 1953. Kenneth Branagh também perdeu em 1989 por sua versão de "Henrique V".

O Rei Henrique VIII, aliás, faturou uma das três vezes que disputou o Oscar. Depois da vitória de Laughton, como protagonista de "Os amores de Henrique VIII", dois outros atores perderam ao fazer o mesmo papel - Robert Shaw, indicado como ator coadjuvante por "O homem que não vendeu sua alma" e Richard Burton, que concorria a melhor ator por "Ana dos mil dias" (este último filme também perdeu na categoria melhor atriz com Genevieve Bujold no papel principal, como uma das rainhas de Henrique VIII, Ana Bolena).

Antes de vencerem, tanto Judi Dench quanto Helen Mirren perderam Oscars por outros papeis como rainhas britânicas. Mirren perdeu a corrida de atriz coadjuvante como Rainha Charlotte em "As loucuras do Rei George", em 1994, filme pelo qual Nigel Hawthorne também perdeu como melhor ator no papel principal. E Dench perdeu como melhor atriz pela Rainha Vitória de "Sua Majestade, Mrs. Brown", de 1997.

veja também