MENU

Manifestantes são detidos após confronto com GCM no Centro de SP

Manifestantes são detidos após confronto com GCM no Centro de SP

Atualizado: Quinta-feira, 30 Junho de 2011 as 2:35

Protesto realizado na manhã desta quinta-feira em SP (Foto: Robert Santos Correa de Moraes/VC no G1)

Dois manifestantes foram detidos após confronto entre lojistas e guardas-civis na região da Rua 25 de Março, no Centro de São Paulo, no início da tarde desta quinta-feira (30). Segundo a Guarda Civil Metropolitana (GCM), a dupla jogou pedras nos agentes. O protesto dos lojistas, que contou com cerca de 400 trabalhadores do Shopping Mundo Oriental, foi contra a restrição da entrada no centro comercial pelo Gabinete de Segurança e pela Secretaria Municipal de Segurança Urbana. O estabelecimento foi fechado novamente nesta quarta-feira (29) durante operação de combate à pirataria. Às 14h desta quinta, o estabelecimento voltou a ser aberto e mais tarde deverá ser novamente vistoriado.     O comerciante Felipe Urquiza Moraes, de 22 anos, e um adolescente de 17 anos foram algemados e encaminhados a uma delegacia da região. “Eu não fiz nada, sou trabalhador. Não joguei pedra em ninguém”, disse Felipe enquanto era levado a um carro da GCM. Elon Gonçalves, representante dos vendedores do Shopping Mundo Oriental, defendeu o colega. “Ele estava o tempo todo ao meu lado no protesto. Ele não jogou nada.”

Já o menor não trabalha lá e chorou ao ser detido. Com ele foi encontrado uma cápsula das bombas de efeito moral utilizadas pelos guardas. “Nós não estamos prendendo. Estamos levando para a delegacia para averiguação”, minimizou o inspetor Marcos Ferreira.

Bombeiros apagam o fogo em avenida (Foto:Glauco Araújo/G1)

  Além das bombas da GCM, o uso de pedaços de papelão e de madeira em chamas para bloquear a Avenida Senador Queirós causou mais confusão. Equipes do Corpo de Bombeiros foram chamadas e apagaram o fogo.

Elon Gonçalves disse que os comerciantes estão cansados das operações. “Anteontem [terça-feira] vieram para fechar duas lojas e fecharam tudo. Ontem aconteceu de novo”, reclamou. Ele afirma que, assim como ele, diversos lojistas do centro comercial estão em situação regular. “Eles têm que vistoriar quem está errado. Não é justo fechar tudo por causa deles”, disse a também comerciante Cristiane Couto.

O inspetor afirmou durante a tarde que a ação dos guardas será investigada pela Corregedoria da GCM.

O secretário da Segurança Urbana, Edsom Ortega, nega que a GCM tenha atuado com truculência. “O que há é a reação de quem comete crime e quer continuar a cometer crime.” Em entrevista ao SPTV, ele acrescentou que a Prefeitura já havia tentado conscientizar os vendedores a respeito do comércio irregular. “Foi feito trabalho educativo e mesmo assim eles insistem em vender mercadoria contrabandeada e até roubada.”

Após o confronto, policiais militares chegaram e afastaram os manifestantes dos guardas-civis. Não há informações sobre feridos ou presos no confronto desta manhã. Com a presença da PM, a situação ficou mais calma na região. Com a detenção dos dois manifestantes, os ânimos voltaram a ficar exaltados.

Guardas-civis posicionados na região da Rua 25 de Março (Foto: Glauco Araújo/G1)          

veja também