MENU

Manobrista e dono de bar dizem que mulher saiu dirigindo jipe blindado

Manobrista e dono de bar dizem que mulher saiu dirigindo jipe blindado

Atualizado: Quarta-feira, 3 Agosto de 2011 as 8:31

O manobrista e o dono do bar de onde a nutricionista Gabriella Guerrerno e o namorado saíram antes do acidente que matou Vítor Gurman, de 24 anos, no dia 23 de julho, na Vila Madalena, Zona Oeste de São Paulo, disseram nesta terça-feira (2) que foi a mulher que saiu dirigindo o carro blindado que atropelou o jovem. A polícia quer ouvir os dois para tentar esclarecer quem estava ao volante.

Na segunda-feira (1º), uma testemunha que mora na Rua Natingui, onde aconteceu o acidente, procurou a polícia para contar que era o dono do carro que dirigia o veículo, o engenheiro Roberto de Souza Lima, de 34 anos. "Quando eu cheguei, eu vi que ele estava no lugar do motorista. Ele estava embaixo. O carro tombou com o lado do motorista no chão. O lado do passageiro ficou para cima. Ele estava embaixo e ela por cima dele", afirmou a jornalista Ingrid Basílio ao G1 .

Na noite do acidente, Gabriella e o namorado ficaram a maior parte do tempo sentados em uma mesa. Às vezes, ela levantava e ia até uma área reservada conversar com amigos. Na hora de ir embora, segundo o manobrista, ela fez questão de dirigir o carro do namorado.     “Assim que o carro chegou, o rapaz queria inclusive até dirigir o carro, só que ela não deixou. Ela falou: ‘Não, não. Deixa que eu dirijo’”, disse o manobrista Naílson Manoel Barbosa. “Ele estava realmente bem embriagado mesmo, porque ele quase não conseguia entrar no carro. Já ela estava nervosa, mas consciente do que estava fazendo. Pelo menos era o que aparentava.”

Os funcionários e os donos do bar ainda serão ouvidos pela polícia. Fernando Mendes Dias, um dos sócios do estabelecimento, contou que estava na calçada conversando com a irmã quando o casal saiu. “Por eu conhecer ela, nós fizemos um ligeiro aceno de boa noite, ela saiu em direção ao carro pra pegar e sair, e o rapaz entrou como passageiro, do lado direito do carro”, afirma Dias, que confirmou que a nutricionista saiu dirigindo.

A investigação quer confrontar as duas versões. O advogado do casal afirma que Gabriella estava dirigindo e contesta a informação da jornalista. “Eu digo que esse depoimento é isolado nos autos, ponto. E afirmo categoricamente que quem estava dirigindo o veículo era a Gabriella Guerrero”, afirmou José Luís de Oliveira Lima, advogado da nutricionista.

Depoimento

Nesta terça-feira (2), Roberto confirmou à polícia que era a namorada que estava ao volante. O carro dele tem 11 multas por excesso de velocidade. O boletim de ocorrência informou que a nutricionista se recusou a fazer o teste do bafômetro e passou por exames clínicos no Instituto Médico-Legal (IML), que constataram que ela estava alcoolizada, mas não estaria embriagada.

“Quem tava dirigindo faz muita diferença, porque o que a família quer é responsabilizar efetivamente quem é o responsável. Não interessa à família responsabilizar quem não cometeu o crime ou quem esteja acobertando o crime”, disse Alexandre Venturini, advogado da família de Vítor.

O dono do bar disse que está tentando encontrar o registro do que o casal consumiu na noite do acidente e imagens das câmeras de segurança que possam ajudar na investigação.          

veja também