MENU

Mansões compradas com dinheiro de roubo ao BC não são leiloadas

Mansões compradas com dinheiro de roubo ao BC não são leiloadas

Atualizado: Segunda-feira, 9 Maio de 2011 as 4:13

Mansão com piscina em Itu foi comprada com dinheiro de assalto a Banco Central de Fortaleza (Foto: Divulgação/Superbid)

  Fracassou nesta segunda-feira (9) o primeiro leilão para a venda de duas mansões localizadas em São Paulo e compradas com dinheiro do assalto ao Banco Central, realizado em Fortaleza, em 2005. Ante à ausência de manifestação de compradores, a Justiça Federal determinou novo leilão, marcado para 16 de maio, às 14h. 

Foram levadas a leilão uma mansão em Alphaville, em Barueri, na Grande São Paulo, por R$ 1.136.223 e uma mansão em Itu, no interior do Estado, por R$ 508 mil. Como não houve interesse nesta primeira oferta, a Justiça determinou redução de 50% no valor destes imóveis.

A assessoria da Justiça Federal diz que a ausência de compradores neste estágio do leilão é praxe, uma estratégia usada pelos compradores para derrubar o preço. No entanto, há expectativa de que, por causa do grande número de interessados, os imóveis sejam arrematados com larga vantagem em relação à nova oferta inicial.

A casa de Itu tem área de 3 mil metros quadrados, campo de futebol e piscina. A de Alphaville - no condomínio Alphaville Plus - tem três andares, piscina e 380 metros quadrados de área construída, em um terreno de 525 metros quadrados. Um inquilino mora lá - quem arrematar a mansão será obrigado a respeitar o contrato e receberá o valor mensal do aluguel, hoje depositado em juízo.

Recuperação

Apreendidos pela Justiça cearense, diversos bens comprados pelos criminosos estão sendo leiloados desde 2007, que vão de posto de combustível em Mato Grosso a imóveis em São Paulo, Ceará, Piauí e Paraíba.

Entre os bens estão joias, relógios, carros de luxo e até cabeças de gado. A Justiça Federal estima que R$ 2,5 milhões em bens tenham sido recuperados. No total, R$ 20 milhões foram recolhidos de contas bloqueadas e dinheiro em espécie encontrado. Mas tudo isso representa apenas 12% do que foi roubado. O grupo levou R$ 164 milhões.      

veja também