MENU

Marco Pigossi diz que a fase 'mulherengo' já passou

Marco Pigossi diz que a fase 'mulherengo' já passou

Atualizado: Quarta-feira, 12 Janeiro de 2011 as 2:42

Falante e extrovertido, o paulistano Marco Pigossi, 21 anos, garante que nem de longe se parece com seu personagem, Pedro, da novela Ti-ti-ti. Na trama, ele engravida uma adolescente, mas não quer saber de compromisso. “Eu assumiria e faria um acordo com ela, daria toda a assistência”, disse o ator à repórter Laís Rissato, ao responder às perguntas dos leitores enviadas ao site de QUEM. Em sua terceira novela, Pigossi faz um trabalho bem diferente daquele que o tornou conhecido em 2009, em Caras & Bocas, quando interpretou o homossexual Cássio e transformou os bordões “rosa-chiclete” e “choquei” um sucesso entre o público. Apesar de namorar, há três anos, entre idas e vindas, a biomédica Janaína Comes, 30 anos, ele afirma que também já teve sua fase mulherengo.

1 - Como reagiria se, assim como na novela, você engravidasse alguém?

Rosana Pinheiro, Rio de Janeiro (RJ)

Primeiro, iria me cuidar para não deixar acontecer, pois é algo muito sério. Tenho só 21 anos e isso implicaria pular uma etapa de vida importante. Mas, se acontecesse, assumiria e faria um acordo com ela, daria toda a assistência e estaria presente.

2 - O Pedro é muito mulherengo. Já passou por essa fase?

Regina Cardoso, Mirassol (SP)

Bastante. Aos 17, 18 anos, ia para a balada e competia com meus amigos para ver quem pegava mais mulher (risos). Durante a viagem de formatura do colégio para Porto Seguro (BA), foi aquela festa e beijei 17 em uma noite. Mas essa fase passou rápido, porque chega uma hora que enche o saco.

3 - Já viveu alguma decepção amorosa?

Suzana Cortes, Itu (SP)

Já, todo mundo passa por isso. Quando tinha 17 anos, namorei uma menina durante um ano e pouco, ela era mais velha, tinha 23. Era apaixonado, mas descobri que ela me traiu. Foi a maior decepção, de chorar no colo da minha mãe. Mas em duas semanas já estava recuperado.

4 - Você é muito assediado pelas mulheres?

Muriel Lima, Curitiba (PR)

Quando eu interpretava o Cássio, o assédio era bem grande. Ele era um personagem gay, mas isso atraía a curiosidade das mulheres, porque elas queriam saber como era o Marco.

5 - Li que você terminou um namoro de três anos por causa da novela Caras & Bocas. Por quê?

Patrícia Nunes, Cabo Frio (RJ)

Terminei, mas nós já voltamos (risos). Namoro a biomédica Janaína Comes e ela tem 30 anos. Fiquei muito mergulhado no trabalho, gravava de segunda-feira a sábado e foi uma época difícil de conciliar as coisas. Também foi uma transição do ser anônimo para ser famoso, e isso gerou ciúme, falta de tempo. Mas estamos juntos há três anos nesse vaivém. Temos uma relação bacana, em que um respeita o outro.

6 - Você é um cara vaidoso?

Marcela Pereira, Niterói (RJ)

Não, deveria ser mais, cuidar da pele e do corpo, que são meus instrumentos de trabalho. Não gosto de academia. Nadei profissionalmente dos 12 aos 16 anos e, como tive que optar entre teatro e natação, escolhi o teatro. Ainda nado uma ou duas horas, três vezes por semana.

7 - O que o atrai em uma mulher?

Juliana Barreto, Aracaju (SE)

Ser sincera, dependente e independente ao mesmo tempo. Gosto de mulheres fortes. A Janaína é uma menina independente, mas é bom saber que a pessoa conta com você. Gosto de loiras, morenas e também de meninas com tatuagens grandes.

8 - Você segue alguma religião?

Maurício Barbosa, Salvador (BA)

Não, mas acredito em Deus. Rezo, tenho minha maneira de pensar e ver a vida, mas tenho curiosidade em cima de religiões.

9 - Que conselho daria a um jovem que quer ser ator?

Fernando Azevedo, Paraty (RJ)

Estudar, ter dedicação. Antes de entrar na novela Eterna Magia, em 2007, fiz 15 testes na Rede Globo. É fácil fazer um personagem, mas manter uma carreira, um nível de atuação é complicado e não tem preço. O ator tem que saber de tudo, ler muito, estar conectado. E não desistir.

10 - Como foi a mudança para o Rio de Janeiro?

Luana Tavares, Marília (SP)

Senti bastante diferença porque é outro estilo de vida, o paulista está sempre correndo, tudo começa mais cedo, e aqui é tudo mais saudável, a qualidade de vida é melhor. Meu lugar preferido é a Lapa, porque não existe nada parecido em São Paulo. É descolado e tem de tudo. Você vê um travesti, uma patricinha, um cara do reggae, um roqueiro e todos convivem no mesmo ambiente.

Por: Laís Rissato

veja também