MENU

Marginal Tietê é liberada em trecho onde caminhão provocou acidentes

SP: M. Tietê é liberada após batida em 13

Atualizado: Terça-feira, 24 Janeiro de 2012 as 8:30

A pista expressa da Marginal Tietê, sentido Rodovia Ayrton Seena, próximo à Ponte das Bandeiras,  foi liberada por volta das 6h30 desta terça-feira (24), em São Paulo. No trecho, um caminhão roubado por dois criminosos colidiu com 13 carros na noite desta segunda (23), pouco antes das 21h. Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), não havia lentidão no trecho, no horáio.

Os motoristas dos veículos atingidos relataram o desesperado no momento do acidente. “Teve muita gritaria, deu para ouvir crianças chorando”, afirmou o técnico em informática Erick Laruccia, de 25 anos. O jovem trafegava lentamente com seu Peugeot 206 pela pista expressa, sentido Rodovia Ayrton Senna, por volta das 20h40, quando sentiu “um tranco”. “O caminhão me bateu na traseira e eu freei.”

Ele conseguiu ver outros veículos sendo atingidos. “A mulher que estava no carro ao lado começou a passar mal. Eu a ajudei a ser socorrida”, contou.

Segundo a PM, a sequência de colisões ocorreu após dois criminosos roubarem o caminhão próximo à Rodovia Anhanguera. Um caminhoneiro viu a ação da dupla e chamou a polícia.
O veículo foi avistado próximo à Ponte do Limão. Houve perseguição e, quando policiais militares alcançaram os criminosos, começou um tiroteio. “Ele [ladrão] sacou a arma e disparou. Os policiais reagiram e atiraram. Nisso, ele engatou a primeira marcha e avançou”, disse o capitão da PM Alexandre Nepomuceno.


Segundo o policial, depois das batidas o veículo parou e o criminoso, ferido nas costas e no pé, desceu e jogou a arma no Rio Tietê. Após ser rendido, ele foi levado ao pronto-socorro do Hospital do Mandaqui. Um comparsa conseguiu fugir, segundo a assessoria de imprensa da corporação.


Notadamente triste pelas colisões terem danificado os para-choques dianteiro e traseiro e os faróis de seu Prisma, o supervisor de solda Jair Batista de Souza, de 35 anos, lamentava não ter seguro de carro. “Acho que o conserto vai ficar em R$ 2,5 mil. No mínimo.”

Outro motorista com prejuízo era o verdureiro Lucas Fernandes, de 24 anos. “Vi no retrovisor o caminhão acertando um Uno e joguei meu carro para o lado. Mas ele me acertou mesmo assim”, lamentou. Seu Gol teve o porta-malas e a lateral danificados. "Acho que vou ter que pagar uns R$ 2 mil para arrumar."
O jovem, que veio de Itapeva, em Minas Gerais, para "receber um dinheirinho na Ceagesp", pretendia voltar ainda na segunda para casa. “Mas acho que vai demorar aqui.” Às 23h30, os motoristas aguardavam a chegada de peritos da Polícia Técnico-Científica para analisar seus veículos. Por conta do acidente, duas faixas da pista expressa, na altura do Rio Tamanduateí, estavam bloqueadas.

veja também