MENU

Marginal Tietê encabeça lista das 50 vias com mais acidentes com mortes

Marginal Tietê encabeça lista das 50 vias com mais acidentes com mortes

Atualizado: Terça-feira, 6 Julho de 2010 as 8:40

A Marginal Tietê é a via da capital paulista que mais registrou acidentes com mortes em 2009. O levantamento da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) consta de um inquérito do Ministério Público que investiga, desde maio do ano passado, a sinalização horizontal em São Paulo, como faixas de pedestre e de divisão das pistas. O G1 teve acesso com exclusividade a esse levantamento. No topo da lista com 50 vias, estão as duas marginais, seguidas por Avenida Aricanduva, Estrada do M’Boi Mirim e Avenida Jacu-Pêssego/Nova Trabalhadores. Os dados de acidentes de trânsito com mortes são obtidos, de acordo com a CET, por meio de informações do Instituto Médico-Legal (IML), que identifica as vítimas, e da Secretaria de Segurança Pública, que possui um banco de dados dos boletins de ocorrência registrados em São Paulo. O mapeamento das vias é usado para o planejamento de ações operacionais, como os pontos onde serão instalados os radares na cidade.

A Marginal Tietê registrou, em 2009, 50 acidentes com mortes, entre eles 18 atropelamentos, 20 colisões e quatro choques (quando o veículo bate em um objeto fixo, como um poste). Os demais entraram na categoria “outros”. No caso da Marginal Pinheiros, foram 30 acidentes: dez atropelamentos, nove colisões, sete choques e quatro que acabaram não classificados nessas categorias.

O consultor de engenharia de tráfego Humberto Pullin chama a atenção para o fato de o número de choques ter sido maior na Marginal Pinheiros em comparação com a outra via expressa. “Eu atribuo essa discrepância à facilidade de se desenvolver maiores velocidades na Marginal Pinheiros, pois as pistas são mais retas e mais livres fora do horário comercial”, acredita.

Para o especialista, as duas marginais lideram a lista de acidentes com mortes, entre outros motivos, porque os motoristas conhecem os pontos onde estão instalados os radares fixos, e aceleram nos outros trechos. Já a promotora de Justiça de Habitação e Urbanismo Maria Amelia Nardy Pereira, responsável pelo inquérito sobre a sinalização, acredita que problemas como faixas mal pintadas, ou a ausência delas, contribuem para os acidentes nessas vias de maior movimento.

No caso da Marginal Tietê, a promotora quer conversar com o novo presidente da CET , Marcelo Cardinale Branco, para discutir soluções para problemas na sinalização horizontal em alguns trechos da via. A reunião deve ocorrer ainda nesta semana.

Atropelamentos

Pullin ressalta que o pedestre é sempre “o mais frágil e indefeso” no trânsito. Ele destaca os números da Avenida Rebouças, onde todos os acidentes com mortes no ano passado foram atropelamentos – seis, no total. Na Estrada do Campo Limpo, na Zona Sul de São Paulo, houve sete acidentes que resultaram em mortes, entre eles seis atropelamentos.

O especialista em tráfego também chama a atenção para outras vias com grande número de atropelamentos. “Nas [avenidas] Sapopemba e Salim Farah Maluf, há muitos pedestres e pessoas que atravessam a via para pegar ônibus”, explica, sobre um possível motivo dos sete atropelamentos que cada uma das duas avenidas registrou em 2009.

Ele defende que a educação para o trânsito pode diminuir o número de acidentes e evitar tantas mortes. “O grande número de colisões e atropelamentos diz respeito à velocidade incompatível com a via, educação para o trânsito, tanto por parte dos motoristas como dos pedestres”, acredita Pullin. “O que falta é educação para a cidadania e circulação no meio urbano, seja na condição de motorista ou de pedestre”, completa.

A CET afirma que os dados de acidentes com mortes são fundamentais também para o desenvolvimento de campanhas educativas, como o programa Travessia Segura, que “têm como objetivo mudar o comportamento de motoristas e pedestres para diminuir o número de vítimas de acidentes”.

veja também