Marina diz que fim de embargo pode favorecer democracia em Cuba

Marina diz que fim de embargo pode favorecer democracia em Cuba

Atualizado: Quarta-feira, 1 Setembro de 2010 as 2:50

A candidata do PV à Presidência da República, Marina Silva, defendeu nesta quarta-feira (1º) que a política externa brasileira contribua na discussão sobre o bloqueio econômico a Cuba. Para Marina, o fim do embargo econômico ajudará para que a democracia se transforme em uma realidade no país. “Na hora que cair o bloqueio americano, acho que o presidente Obama peca por não tratar essa questão, favoreceria muito a democracia em Cuba”, disse.

Pela manhã, Marina participou de sabatina no jornal “O Estado de S. Paulo” durante aproximadamente duas horas. Ainda em relação a política externa, ela afirmou que o Brasil não pode ter tratamento homogêneo aos países com os quais se relaciona. Sobre Cuba, defendeu pontos positivos da revolução e cobrou a defesa dos direitos humanos.

“Eu acho que a Revolução Cubana deu uma contribuição muito importante. Tínhamos ali uma ditadura perversa com os Batista que aviltava a condição humana”, diz Marina, afirmando que não tem uma avaliação de viés conservador. Ela ressaltou avanços sociais no páis e disse que o Brasil importa médicos de Cuba para resolver os problemas de saúde da Amazônia. “Os que são alinhados com Cuba não podem é fazer vista grossa com um problema que é grave, que é a falta de democracia”, afirma Marina. “Não acho que ditadura seja boa para ninguém, o bom é a democracia.”

Ela criticou a aproximação com o Irã, que considerou excessiva, e disse ainda que o Brasil precisa se credenciar para ter confiança dos seus vizinhos da América do Sul para ter capacidade de fazer a mediação de conflitos.

Colisões

Marina disse que sua opção por um futuro governo com os melhores do PT e do PSDB, caso seja eleita, não é retórica de campanha. “Não é utópico e até a concorrência se trai”, disse.

Ela afirmou que em sabatina com prefeitos em Minas, Serra convidou tanto ela quanto Dilma para fazer parte do seu governo. Ela citou ainda que Dilma falou recentemente que estenderia mão para José Serra (PSDB). “Não sei se ela está antecipando a mão antes do tempo", disse.

Afirmando estar animada com as perspectivas, disse esperar um segundo turno entre duas mulheres. Ela criticou a estratégia dos adversários que, segundo ela, apontam que a eleição está definida. "Agora há um movimento de ambas as partes querendo incentivar o voto útil querendo inutilizar o voto do eleitor.”

Postado por: Thatiane de Souza

veja também