MENU

Material recolhido pela Marinha não pertence ao avião da Air France

Material recolhido pela Marinha não pertence ao avião da Air France

Atualizado: Sexta-feira, 5 Junho de 2009 as 12

O material que a Marinha recolheu ontem, 4 de junho, na área onde estão concentradas as buscas aos destroços do Airbus A-330 que fazia o voo 447 não pertence ao avião da Air France. "Verificamos que o material não pertencia à aeronave", disse o diretor do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), brigadeiro Ramon Borges Cardoso.

Segundo o brigadeiro, a peça de 2,5 metros quadrados - um pallet usado para acomodar cargas - retirada do mar e que, inicialmente, acreditava-se que serviria para acomodação de cargas em aviões, era de madeira. "Neste vôo [Airbus A-330] não havia nenhum pallet de madeira", informou.

Cardoso também afirmou que a grande mancha de óleo avistada não pertencia ao Airbus. "O óleo não pertence ao avião, pois não havia óleo [no avião] em quantidade suficiente para originar aquela mancha", disse.

O brigadeiro informou, no entanto, que outra mancha com as características de querosene de avião foi localizada, e na quantidade que, provavelmente, corresponderia à que o Airbus carregava.

O Comando da Aeronáutica convidou os parentes das vítimas a visitarem o Cindacta 3 (Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle do Tráfego Aéreo), em Recife, para conhecer os detalhes do trabalho de buscas. "Isso serviria também para que eles tomassem conhecimento das dificuldades do nosso trabalho. Todos querem respostas que não podemos dar devido às dificuldades inerentes a uma busca no mar", disse. Mas o sobrevoo na área de buscas foi descartado por causa das condições de tempo desfavoráveis.

Sem localizar nada além do pallet e das duas bóias, a Marinha prosseguiu durante a noite buscando os destroços do Airbus A-330 da Air France e os corpos das pessoas que estavam a bordo do voo 447.

"O navio está sempre navegando e se por acaso alguém identificar algo no mar, ele pode avisar e será recolhido", disse o comandante do 3º Distrito Naval, almirante Edison Lawrence Mariath Dantas.

A Aeronáutica também divulgou as novas imagens de objetos avistados no mar, como boias e manchas de óleo. De acordo com o centro de comunicação, as missões de buscas completaram ontem o rastreamento de 185.349 quilômetros quadrados, que equivale à soma das áreas dos estados do Acre e de Alagoas.

veja também