MENU

Médico diz que Arruda está com depressão e pede novos exames

Médico diz que Arruda está com depressão e pede novos exames

Atualizado: Quarta-feira, 10 Março de 2010 as 12

O médico Brasil Caiado afirmou nesta terça-feira, dia 9, que o governador afastado e preso do Distrito Federal, José Roberto Arruda (sem partido), não precisa de internação imediata para tratamento em um hospital mas pediu novos exames.

Caiado disse que Arruda apresenta um quadro de depressão muito acentuada, hipertensão e diabetes não controlados, além de um edema não identificado no pé direito.

O médico pediu que Arruda realize novos exames e afirmou que vai esperar a evolução do estado de saúde nos próximos dias para avaliar se vai defender a internação do ex-democrata.

A expectativa é de que ele faça exames nesta quarta-feira de eletrocardiograma, de urina e de sangue e tenha a pressão arterial controlada ao longo do dia. "Eu estou aguardando exames pra definir. Seria irresponsável de falar [em internação] sem a complementação diagnóstica. Na verdade, a posição nossa é técnica, médica, respeito que nós temos pelo cidadão, pela pessoa e pela doença", disse.

O médico disse que os exames poderão ser realizados na própria Superintendência da Polícia Federal, ao contrário do que ocorreu na segunda-feira, quando Arruda foi levado a um hospital para realizar exames. Aquela foi a primeira vez que o governador deixou a prisão desde que foi preso no dia 11 de fevereiro. Ele foi escoltado por policiais.

Caiado afirmou que Arruda já está sendo medicado contra depressão. "O quadro clínico dele é, no momento, uma hipertensão arterial que não está controlada, diabetes que não está controlado e edema no membro inferior direito a esclarecer, mais a depressão. A depressão ele foi avaliado, mas não é minha área específica. Ele foi avaliado por uma especialista aí mesmo e já está até medicado para isso", afirmou.

O médico particular de Arruda afirmou que a suspeita de trombose (formação de um coágulo de sangue) no pé direito, no momento, está descartada, mas só um exame mais completo poderá avaliar o inchaço no local. Arruda teve o tornozelo operado em novembro do ano passado. A Polícia Federal já havia informado que o exame não apontou trombose.

"Esse exame ajudou a gente a raciocinar preliminarmente o diagnóstico, mas ainda não está definido o porquê do edema. Inicialmente se pensou numa trombose, mas o exame não confirmou. É muito comum ter trombose depois de cirurgia ortopédica. Ainda precisa ser esclarecido", disse.

A consulta levou uma hora e foi acompanhada pela mulher de Arruda, Flávia Arruda, pelo advogado Thiago Bouza e uma pessoa que não quis se identificar. Durante a avaliação médica, o cunhado de Arruda chegou à Polícia Federal para deixar o jantar do governador.

Flávia saiu com uma receita médica no colo com recomendação para o uso de Plavix 75, um remédio para prevenir problemas causados por coágulos no sangue e endurecimento de artérias; e de Somalgin Cardio, para prevenção de trombose nas veias.

A visita do médico particular de Arruda foi solicitada pela defesa e autorizada pelo ministro Fernando Gonçalves, do STJ (Superior Tribunal de Justiça). Uma estratégia avaliada pelos advogados seria conseguir uma avaliação médica mostrando que Arrua está com a saúde debilitada e precisaria de prisão domiciliar. Oficialmente, os advogados negam a ideia.

Por: Márcio Falcão

veja também