MENU

Mercadante vai ao Senado falar sobre dossiê dos "aloprados"

Mercadante vai ao Senado falar sobre dossiê dos "aloprados"

Atualizado: Terça-feira, 28 Junho de 2011 as 8:18

Alvo de denúncia de suposto envolvimento no escândalo dos “aloprados”, o ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, vai ao Senado na manhã desta terça (28) participar de audiência na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE).

Oficialmente, a reunião com Mercadante pretende debater o tema "Economia e competitividade: a importância da inovação", mas em acordo firmado pelo próprio ministro com senadores governistas, ele vai utilizar o encontro para rebater as notícias da suposta participação no episódio envolvendo a compra por petistas de um suposto dossiê, em 2006, contra o ex-governador de São Paulo, José Serra.

O episódio ficou conhecido como dossiê dos "aloprados", após o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva ter classificado como aloprados os petistas que participaram do caso.

Mercadante foi apontado em reportagem da revista “Veja” como um dos "mentores" da compra do suposto dossiê contra o candidato tucano. O episódio resultou na prisão em flagrante, em 15 de setembro de 2006, de militantes do PT.

No dia 20 de junho, Mercadante negou envolvimento no episódio lembrando que uma comissão parlamentar de inquérito investigou o caso e sem que o nome dele fosse citado por nenhum dos envolvidos. "Tivemos cinco anos atrás uma CPI. Todas as pessoas envolvidas foram ouvidas. Eu nunca fui citado nesse momento. Tivemos um parecer do procurador-geral da República dizendo que eu não tinha qualquer indício de participação nesse episódio", afirmou Mercadante, em Fortaleza, onde participou da abertura de uma conferência.

Além de negar envolvimento, Mercadante ainda disse estar “totalmente de acordo” com a realização de novas investigações sobre sua suposta participação no escândalo: “Se as pessoas quiserem voltar a investigar, estou totalmente de acordo. Estou disposto a participar de qualquer forma, em qualquer lugar, qualquer tema da vida pública. Sou um homem transparente."

Líder do PT

Nesta segunda, o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), saiu em defesa do ministro Mercadante e da ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, que também foi citada em reportagem da revista. Em nota divulgada também nesta segunda, Ideli classificou de "falaciosa" a tentativa de envolvê-la no escândalo.

Já o líder petista avaliou que Mercadante irá “colocar um ponto final” na polêmica ao participar da reunião da CAE. “Amanhã (terça), o ministro Mercadante vai participar da reunião da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado e vai colocar um ponto final nessa história. Ele vai dar uma boa explicação para acabar logo com isso”, disse Costa.

Sem citar nomes, Costa afirmou ainda que “estão tentando reascender o caso”. O líder do PT no Senado argumentou que as denúncias foram “objeto de uma ampla investigação” e o assunto estaria esgotado.

Questionado se Ideli precisaria fazer como Mercadante e ir ao Congresso esclarecer as denúncias, Costa disse que a ministra não deve explicações: “Ela não tem que explicar nada.”

veja também