MENU

Militar envolvido em mortes na Providência está foragido, diz Exército

Militar envolvido em mortes na Providência está foragido, diz Exército

Atualizado: Terça-feira, 18 Outubro de 2011 as 1:14

Crime aconteceu em 2008, no Morro da Providência

(Foto: Reprodução / TV Globo)

  O tenente do Exército suspeito de participar do homicídio de três jovens moradores do Morro da Providência , na Zona Portuária do Rio de Janeiro, é considerado fugitivo da Justiça Militar e desertor. O militar não se apresentou em sua unidade desde a expedição do mandado de prisão da Justiça Militar e é considerado foragido desde 24 de setembro. As informações são do Comando Militar do Leste (CML).

O tenente responde a dois processos, um na Justiça Militar, por Recusa e Desobediência, e outro na Justiça Federal, por homicídio qualificado.

Na Justiça Militar, ele foi condenado a um ano de prisão, mas recorreu da decisão. A solicitação foi negada e foi expedido um mandado de prisão do tenente.

Processo ainda tramita na Justiça Federal

O desembargador federal Abel Gomes, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, determinou que o tenente e outro militar suspeito de envolvimento no caso voltassem para a prisão. Os dois haviam sido soltos no dia 24 de agosto. O processo criminal ainda tramita na Justiça Federal de primeiro grau. A informação foi confirmada pelo tribunal.

O crime ocorreu em 2008, quando os jovens teriam sido entregues a traficantes do Morro da Mineira, de uma facção rival à da Providência.

Na decisão, o desembargador Abel Gomes destacou que a Constituição Federal considera crime inafiançável "a prática da tortura, o tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins, o terrorismo e os definidos como crimes hediondos, por eles respondendo os mandantes, os executores e os que, podendo evitá-los, se omitirem".

Na época do crime, os militares atuavam no Morro da Providência fazendo a segurança das obras do Projeto Cimento Social, do Governo federal e tiveram a prisão temporária decretada no dia seguinte ao crime.          

veja também