MENU

Ministério Público denuncia maníaco de Guarulhos por mais quatro mortes

Ministério Público denuncia maníaco de Guarulhos por mais quatro mortes

Atualizado: Sexta-feira, 11 Março de 2011 as 1:35

O Ministério Público na Grande São Paulo denunciou à Justiça paulista, nesta quinta-feira (10), Leandro Basílio Rodrigues, de 22 anos, chamado por policiais civis de "maníaco de Guarulhos", por mais quatro assassinatos de mulheres cometidos na cidade entre 2007 e 2008.

O acusado já está preso no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Sorocaba, no interior de São Paulo, desde 2008 por causa do homicídio de Gisele Cabral de Souza em Guarulhos. De acordo com a Promotoria, ao todo Leandro pode ter matado nove mulheres, cinco em Guarulhos, duas no Rio de Janeiro e mais duas em Belo Horizonte. Ele responde ainda por mais 13 crimes, como tráfico, roubo e estupro. Apesar disso, ele ainda não foi julgado por nenhum desses crimes porque sua defesa entrou com recursos contra algumas decisões que ainda não foram analisados.

A carreira criminosa começou aos 17 anos e terminou há quase quatro anos, segundo a nova denúncia apresentada pelo promotor Rodrigo Merli Antunes. Ela será encaminhada a um juiz, que depois dirá se aceita ou não o pedido para que o réu também responda criminalmente por essas mortes.

De acordo com Merli Antunes, o depoimento de testemunhas e periciais colhidas durante o processo revelaram que Leandro também matou Keliane Leite da Silva (no dia 7 de setembro de 2007); Viviane da Silva Correa (em 30 de setembro de 2007); Juliana Teixeira do Nascimento (entre 29 e 30 de maio de 2008); e Aline Sena da Rocha (26 de agosto 2008).

Além dessas provas contra Leandro, o promotor afirmou que o próprio réu confessou ter executado esses crimes. “Também estou pedindo a prisão preventiva do réu por conta desses novos casos de assassinato”, disse Merli Antunes.

“Leandro é portador de personalidade violenta e anti-social, tendo cometido uma série de homicídios com alto grau de repulsividade, tudo a indicar ser um verdadeiro necrófilo e serial killer”, escreveu o promotor na denúncia. “O agente é um assassino em série e nutre pelas mulheres um sentimento de vingança”.

O G1 não localizou o advogado de Leandro para comentar o assunto.    

veja também