MENU

Ministra espera "firmeza" da Câmara em relação a Jair Bolsonaro

Ministra espera "firmeza" da Câmara em relação a Jair Bolsonaro

Atualizado: Sexta-feira, 1 Abril de 2011 as 9:50

A ministra da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Luiza Bairros, afirmou nesta sexta-feira (1º) que espera que a Câmara “possa agir com firmeza” em relação às declarações do deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) a um programa de TV, na última segunda-feira (28).

Ao ser questionado pela cantora Preta Gil sobre como reagiria caso o filho namorasse uma mulher negra, Bolsonaro respondeu: "Preta, não vou discutir promiscuidade com quer que seja. Eu não corro esse risco, e meus filhos foram muito bem educados e não viveram em um ambiente como, lamentavelmente, é o teu". Posteriormente, Bolsonaro afirmou que não havia entendido a pergunta.

“A própria Câmara Federal tem se encarregado de tratar desse caso do deputado. Da maneira como as coisas estão sendo encaminhadas, é bem provável que ele seja interpelado através da Comissão de Ética da Câmara”, afirmou a ministra. “Vamos esperar que a Câmara possa agir nesse caso com a firmeza que a sociedade brasileira espera, porque nós não podemos mais admitir declarações tão explicitamente racistas como essas que foram dadas.”

As declarações da ministra foram feitas durante a apresentação da “Igualdade Racial é para valer” no programa “Bom dia, ministro”, da Empresa Brasileira de Comunicação (EBC).

As declarações de Bolsonaro motivaram representações na Câmara. A Corregedoria da Casa  informou ter recebido nesta quinta-feira quatro representações contra o deputado, para que seja investigado se parlamentar faltou com o decoro em razão das declarações sobre negros e homossexuais.

O corredegor, deputado Eduardo da Fonte (PP-PE), ainda não analisou os pedidos. Após a análise, Bolsonaro será notificado e, depois isso, terá cinco dias úteis para apresentar sua defesa. O presidente da Câmara, Marco Maia, informou na noite de quarta (30) que havia encaminhado as representações para a Corregedoria.

'Estúpido'

Nesta quinta (31), o deputado federal e líder do governo Cândido Vaccarezza (PT-SP) classificou Bolsonaro como "estúpido”. "Bolsonaro tem se caracterizado como um deputado estúpido, mas ele foi eleito com essa estupidez", disse.

Ao G1, Jair Bolsonaro disse que Vaccarezza estava sendo preconceituoso com ele. "Eu fui a diversos gabinetes de deputados explicar o que tinha acontecido. Cândido Vaccarezza está sendo preconceituoso comigo. Não vou usar adjetivos piores do que os dele", disse.

veja também