MENU

Ministro do Turismo deve se reunir com Dilma, diz assessoria

Ministro do Turismo deve se reunir com Dilma, diz assessoria

Atualizado: Terça-feira, 9 Agosto de 2011 as 4:11

O ministro do Turismo, Pedro Novais (PMDB), deve se reunir ainda na tarde desta terça-feira (9) com a presidente da República, Dilma Rousseff, para tratar da Operação Voucher, da Polícia Federal, que apura supostas fraudes na pasta. As informações são da assessoria de imprensa do ministério. A Presidência não confirma o encontro.

A operação, deflagrada nesta manhã, resultou na prisão de 38 pessoas, entre elas o secretário-executivo do ministério, Frederico Silva da Costa, que tem o cargo mais importante da pasta depois do ministro. Segundo a assessoria do ministro, Novais estava por volta de 14h30 desta terça reunido com seus principais assessores para tomar conhecimento da operação.

De acordo com a assessoria do ministério, Novais chegou a Brasília vindo de São Paulo no final da manhã e foi direto para o ministério, onde está reunido a portas fechadas com os assessores desde as 12h30.

Ainda segundo a assessoria, o ministro deve cancelar uma das agendas da tarde, a reunião do Comitê Executivo da Copa, para se encontrar com a presidente.

Conforme a PF, a ação visa "combater o desvio de recursos públicos destinados ao Ministério do Turismo por meio de emendas parlamentares ao Orçamento da União". Ainda de acordo com a PF, a operação contou com 200 agentes que cumpriram 19 mandados de prisão preventiva (sem prazo determinado), 7 de busca e apreensão e outros 19 de prisão temporária (de cinco dias prorrogáveis por mais cinco dias), em Brasília, São Paulo e Macapá (AP).

Além do secretário-executivo, foi preso o secretário nacional de Desenvolvimento de Programas de Turismo, Colbert Martins da Silva Filho,que é ex-deputado federal, um ex-presidente da Embratur (Mario Moysés, segundo a assessoria do Ministério do Turismo), além de empresários, diretores do ministério e funcionários do Instituto Brasileiro de Desenvolvimento de Infraestrutura Sustentável (Ibrasi). O G1 aguarda resposta do Ministério do Turismo sobre a operação e tenta contato com dirigentes do Ibrasi.          

veja também