MENU

Ministro Joaquim Barbosa diz que presidente do STF destrói credibilidade da Justiça

Ministro Joaquim Barbosa diz que presidente do STF destrói credibilidade da Justiça

Atualizado: Quinta-feira, 23 Abril de 2009 as 12

Brasília - Durante uma discussão na sessão da última quarta-feira, dia 22 de abril, do Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Joaquim Barbosa criticou o presidente do STF, Gilmar Mendes, responsabilizando-o por supostamente contribuir para uma imagem negativa do Poder Judiciário perante a população.

O bate-boca ficou mais ríspido quando Mendes reagiu à discordância de Barbosa com o encaminhamento dado a uma matéria. Os ministros analisavam recursos contra duas leis julgadas inconstitucionais pelo STF. Uma, tratava da criação de um sistema de seguridade do estado do Paraná, e outra, da permanência de processos de autoridades no Tribunal, ainda que os réus perdessem cargos políticos.

"Vossa Excelência não tem condições de dar lição a ninguém", afirmou Mendes.

Barbosa respondeu: "Vossa Excelência me respeite, Vossa Excelência não tem condição alguma. Vossa Excelência está destruindo a Justiça desse país e vem agora dar lição de moral a mim? Saia à rua, ministro Gilmar. Saia à rua, faça o que eu faço".

A discussão entre os ministros foi gravada pela TV Justiça e está disponível na internet.

O ministro Ayres Britto tentou colocar panos quentes na discussão, ao lembrar que já havia pedido vista da matéria. Mas não conseguiu.

Quando Mendes respondeu  a Barbosa, dizendo que já estava na rua, ouviu do colega o seguinte:

"Vossa Excelência [Gilmar Mendes] não está na rua não, vossa excelência está na mídia, destruindo a credibilidade do Judiciário brasileiro. É isso. Vossa Excelência quando se dirige a mim não está falando com os seus capangas de Mato Grosso, ministro Gilmar. Respeite".

Após novas trocas de acusações, o ministro Marco Aurélio sugeriu que a sessão fosse encerrada e foi atendido por Mendes. Em seguida, o presidente do STF e alguns ministros iniciaram uma reunião fechada em seu gabinete.

Marco Antonio Soalheiro

Repórter da Agência Brasil

veja também