MENU

Ministro quer que TCU monitore verbas das Defesas Civis

Ministro quer que TCU monitore verbas das Defesas Civis

Atualizado: Sexta-feira, 21 Janeiro de 2011 as 4:35

O ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, afirmou nesta sexta-feira (21) que pretende criar um modelo de monitoramento de aplicação dos recursos liberados para as Defesas Civis, através do Tribunal de Contas da União (TCU).

“Solicitei ao TCU iniciar uma ação de monitoramento na liberação dos recursos da Defesa Civil. Essa equipe se encontra no ministério desde ontem (quinta-feira)”, alegou o ministro, que participou de reunião no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES) nesta sexta, no Centro do Rio.

A ideia, segundo ele, é que equipes do TCU visitem as prefeituras e também as Defesas Civis estaduais, para definir novos protocolos de liberação do dinheiro e de como prestar conta. Esse seria um novo modelo de atuação e gestão no sistema de Defesa Civil nacional. “É evidente que a Defesa Civil precisa ser reestruturada”, afirmou Bezerra.

Ele disse ainda que a coleta de dados para o atlas da área de risco do Brasil será concluída nas próximas semanas. “A sociedade está percebendo que tem que mudar de postura em relação aos próprios agentes públicos”, afirmou Bezerra. Para ele, isso vai demandar tempo porque a sociedade precisa passar por uma mudança cultural.

De acordo com o ministro, a verba que o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Dnit) investia por ano é a mesma que ele investe, atualmente, a cada mês. “Mudou o paradigma de investimento público no Brasil. Acho que agora entrou na agenda da sociedade brasileira a questão da Defesa Civil. Ninguém mais quer morar em área de risco”, disse ele.

  Falta de um plano de contingência

Na quarta-feira (19), o secretário estadual de Meio Ambiente, Carlos Minc, afirmou que falta um plano de contingência em todas as Defesas Civis municipais do Rio. Ele informou ainda que na terça-feira (18) pediu recursos ao ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, para qualificar e equipar as defesas civis de todos os municípios do Rio.

"A Defesa Civil de Friburgo é a melhor que há, mas não há um plano de contingência", disse Minc. O plano consiste, segundo ele, em instalar alarmes, treinar pessoas e transportes sobre o que fazer e para onde correr.   "Na hora que está chovendo, seu filho chorando, a água subindo, ninguém consegue pensar em nada, tudo tem que ser pensado com antecipação. As nossas defesas civis municipais elas não têm plano de contingência, emergência e exercício", afirmou. O secretário disse que esta agora será a prioridade do estado.

O trabalho de busca de corpos e de limpeza das ruas atingidas pela forte chuva na Região Serrana entra pelo décimo dia.    

veja também