MENU

Moradores aprovam mudança de nome de avenida na Zona Sul de SP

Moradores aprovam mudança de nome de avenida na Zona Sul de SP

Atualizado: Sexta-feira, 20 Agosto de 2010 as 4:17

Moradores e comerciantes do Socorro, na Zona Sul de São Paulo, estão contentes porque a Avenida Robert Kennedy, uma das mais movimentadas da região, pode voltar a se chamar Avenida Atlântica, como há 31 anos. O projeto dos vereadores da Câmara Municipal está prestes a virar lei.

A dona de casa Vera Lúcia Buitrago Manile, de 58 anos, gostou da ideia de ver novamente na rua onde mora a placa Avenida Atlântica. “Eu estranhei quando eles mudaram. Gostava mais da Atlântica. Se voltar a ter esse nome, eu vou achar bom porque foi assim que conheci a rua”, afirmou ela, que vive no bairro há 37 anos. A troca da nomenclatura ocorreu em 1979. O projeto de lei 133/2003, que pede a mudança e é de autoria do vereador Antonio Goulart (PMDB), foi aprovado na Câmara em duas votações. O prefeito Gilberto Kassab vetou o texto, mas, durante sessão na quarta (18), os vereadores derrubaram o veto. De acordo com o regimento interno da Casa, no artigo 368, “rejeitado o veto, no todo ou em parte, o presidente da Câmara enviará, em cinco dias úteis, o projeto ao prefeito para, em 48h, promulgá-lo”.

Questão cultural

Goulart comemorou. “É uma questão cultural. Até hoje as pessoas chamam aquela avenida de Atlântica. Estou resgatando a história do bairro”, disse o vereador, que contou morar na região. Ao longo da Robert Kennedy, há um pouco de tudo: casas, bares, restaurantes, motéis, postos de gasolina, todo tipo de comércio e até um quartel do Corpo de Bombeiros. Vera Lúcia acompanhou o “progresso” do local. “Quando cheguei aqui, era rua de terra. Agora, está muito mais barulhento.”

Em seu veto, Kassab disse que rebatizar a via de 6,7 km de extensão causaria “a ocorrência de homonímia” e a legislação da cidade não permite que logradouros tenham o mesmo nome. O impasse é porque, desde 1921, existe a Rua Atlântica, nos Jardins, um dos bairros mais nobres de São Paulo.

Reprovação Para o comerciante Pietro Manile, 61, marido de Vera Lúcia, tudo deve continuar como está. “Vamos ter que avisar a mudança de endereço no banco, vão ter que mudar mapas. Tem tanta coisa para fazer nesse país e mexem com quem está quieto”, reclamou o morador do bairro, que sofreu com as trocas feitas pela Prefeitura. “O número da minha casa já mudou três vezes. Era 880, passou para 1.596 e agora é 1.218. Não sei por quê.”

O também comerciante Orides Antonio de Souza, 56, comemorou a notícia. A autoescola dele se chama Atlântica. “Eu me empolguei e mantive o nome”, contou ele, que assumiu o negócio do antigo dono há 15 anos. “Vai ficar mais fácil. Se você falar Avenida Robert Kennedy poucas pessoas conhecem.”

E parece que os comerciantes da região nem querem que essa memória se apague. Ao longo da avenida, que homenageia o político americano, a reportagem constatou que em pelo menos cinco estabelecimentos o letreiro exibe o nome Atlântica. “A gente ainda chama essa avenida de Atlântica. Está na ponta da língua”, brincou o aposentado Antonio Gurgel, 62, morador do bairro há 36 anos.

veja também