MENU

Moradores de Mauá reclamam que Defesa Civil não atende a solicitações

Moradores de Mauá reclamam que Defesa Civil não atende a solicitações

Atualizado: Quarta-feira, 26 Janeiro de 2011 as 12:55

Em época de chuva forte, quem está em área de risco ou desabrigado recorre à Defesa Civil. É um órgão que deve dar apoio e socorro às vítimas, mas também tem que ajudar na prevenção, fiscalizar as áreas de risco e remover famílias para locais seguros. Mas em Mauá, no ABC, os moradores reclamam que a Defesa Civil não atende aos pedidos. A cidade foi muito castigada pelas chuvas. Em menos de 30 dias, seis pessoas morreram.

Na Avenida Saturnino João da Silva, uma casa, onde os moradores colocaram algumas faixas de protesto, está interditada desde dezembro de 2009. Mesmo assim, é possível perceber que a situação ainda é extremamente perigosa. Quem mora na casa ao lado é o confeiteiro Valdir da Conceição. Com as chuvas do início do ano, aumentaram as trincas e rachaduras.

De um lado, a avenida está toda destruída e o problema é que a situação do outro lado da rua também já começa a se agravar. Por conta disso, os moradores colocaram manilhas de concreto para evitar que passem ônibus e caminhões. “São duas linhas de ônibus aqui, ia afundar tudo. A gente chama, chama e não vem ninguém”, afirma o aposentado José Aparecido.

Na Rua Luís Sacarpini, um dos pontos mais altos do Jardim Zaíra, há uma cratera que está engolindo a rua e chegando cada vez mais perto das casas. Segundo a dona de casa Maria dos Anjos Garcia, a situação está assim desde o ano passado.

A reportagem do SPTV tenta, desde a semana passada, um contato com a Defesa Civil do município, mas obteve retorno apenas por meio de uma nota da prefeitura, que informa que as duas ruas visitadas irão passar por obras.    

veja também