Moradores relatam atropelamentos em avenida da Zona Leste de SP

Moradores relatam atropelamentos em avenida da Zona Leste de SP

Atualizado: Quarta-feira, 14 Setembro de 2011 as 1:36

Moradores de Guaianazes, na Zona Leste de São Paulo, aguardam há pelo menos 10 anos por sinalização em uma das principais avenidas do bairro - a Miguel Achiole da Fonseca. Segundo a população, os atropelamentos na via são frequentes. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), por sua vez, afirma que em 2010 verificou as condições da avenida e avaliou que não há necessidade de semáforos para veículos e pedestres. Neste ano, outra negativa. A CET informou que não existe histórico significativo de acidentes na avenida.   “Uma mãe com o carrinho de bebê com ele dentro esperando para atravessar, pra poder entrar no portão da creche, e o carro passou com tudo e atropelou”, conta a digitadora Patrícia Machado.   “O velhinho estava na caixa do pedestre e vinha carro dos dois lados. Veio uma moto e jogou o velhinho”, diz a dona de casa Fátima Rodrigues. O pedreiro Manuel de Jesus Santos também tem outra história. “Tinha um ônibus parado, a moça foi atravessando e o carro passou com tudo e atropelou. Ela tava com sete meses de barriga [gravidez] e com a criança na mão.”

A equipe de reportagem do SPTV esteve na avenida para acompanhar a entrada dos alunos no colégio. Não havia nenhuma fiscalização. O primeiro agente da CET chegou às 10h e o outro ao meio-dia. A câmera flagrou crianças se arriscando para atravessar a avenida, mesmo na faixa de pedestres.

As crianças também precisam correr para atravessar. “O carro vinha em alta velocidade e mesmo na faixa de pedestre, ele não para, ele não dá preferência pro pedestre e passa direto”, conta o estudante João Vítor Cavalcante, de 13 anos. “Eu vou e se o carro vier, eu tento voltar. O carro não respeita. Eu tenho medo de ser atropelado”, completa Vitor da Silva Chaves, também de 13 anos.

O comerciante Cícero Barbosa de Araújo perdeu o filho de 6 anos atropelado. “Já perdi tudo, nada me alegra aqui.”

Há quatro meses, a CET implantou a Zona Máxima de Proteção ao Pedestre. Várias medidas foram implantadas, principalmente no Centro e na região da Avenida Paulista para diminuir o número de atropelamentos. A superintendente de educação e segurança da companhia, Nancy Schneider, disse que a CET está fazendo um estudo para verificar se há necessidade de instalar semáforos para pedestres e motoristas na Avenida Miguel Achiole da Fonseca.

“A proposta é desenvolver um projeto de colocação de semáforo no cruzamento e nas proximidades. Também estamos estudando a implantação de uma rotatória e até de uma alteração na circulação de veículos. Há três anos nós não temos registrado nenhum atropelamento no local. Neste momento é que estamos verificando um acréscimo no volume da região e surgiu a necessidade desse semáforo.”

No ano passado, foram mais de 7 mil atropelamentos na capital paulista e 630 pessoas morreram. Isso representa quase metade (46,4%) das mortes por causa de acidente de trânsito na cidade.

veja também