MENU

Morte na escola: suspeita de matar adolescente falta a depoimento

Morte na escola: suspeita de matar adolescente falta a depoimento

Atualizado: Quarta-feira, 22 Junho de 2011 as 5:19

A suspeita de cometer o assassinato na escola municipal do Bairro Curió, em Fortaleza, nesta terça-feira (21) e os familiares dela não compareceram para prestar depoimento, de acordo com o escrivão da Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA), Delano Pires. Eles serão novamente intimados a comparecer e depor. A morte, segundo o escrivão, foi consequência de uma "antiga rixa entre as garotas".  A suspeita disse em depoimento que não aguentava mais as brincadeiras e agressões verbais da vítima.

De acordo com irmã da jovem assassinada, a vítima havia brigado com o ex-namorado da garota suspeita do crime. Ainda de acordo com a irmã da vítima, uma tia da suspeita estimulava a jovem a matar a outra. "Faz agora o que você disse em casa que ia fazer", teria dito a tia da garota antes do crime'', segundo depoimento colhido escrivão.

A jovem assassinada recebeu uma facada no peito, próxima ao ombro esquerdo. A irmã interveio na tentativa de evitar o crime e também foi machucada na testa com um corte de faca. Ela foi atendida e se recupera do ferimento. A irmã afirma que a tia da suspeita "fugiu" logo após o crime ser perpetrado.

  Comportamento da suspeita

Os alunos da escola municipal afirmam que a suspeita de assassinato é "fria e tem poucas amizades". "Todo mundo conhecia ela no bairro, mas quase ninguém falava com ela. Ela tinha poucas amizades", diz um aluno da sala da suspeita.

"Ninguém esperava que ela pudesse fazer isso. Foi parecido com o caso no Rio de Janeiro", diz outro popular, fazendo referência ao assassinato de 13 adolescentes no Bairro Realengo, em abril deste ano.

A mãe de um dos alunos que estudava na mesma sala da suspeita a descreve como "calma e tranquila". "(No momento do crime) ela estava com uma raiva que não parecia ser ela", diz a testemunha.

Demora no atendimento

A mãe da vítima afirma que vai processar a diretoria da escola por suposta negligência para prestar socorro. A mãe afirma que estava próximo à escola quando ocorreu o crime e foi avisada por uma amiga.

Ela tentou levar o corpo da filha para o hospital em veículo particular, mas foi impedida pela diretora da escola, afirma a mãe. A diretora teria dito que não podia, pois é de responsabilidade da escola aguardar chegada da ambulância. A TV Verdes Mares procurou a diretora da escola, mas ela disse que não vai se pronunciar sobre o caso.

Ainda segundo a mãe da vítima, a ambulância demorou 1h20 para chegar ao local do crime. Antes deo socorro médico chegar, a vítima foi levada ao Frotinha da Parangaba em veículos da Polícia.          

veja também