MENU

Motorista do Land Rover recusou bafômetro, diz TV

Motorista do Land Rover recusou bafômetro, diz TV

Atualizado: Segunda-feira, 8 Agosto de 2011 as 9:51

A nutricionista Gabriella Guerrero Pereira, 28, aceitou fazer o teste do bafômetro logo após atropelar o administrador de empresas Vitor Gurman, 24, mas acabou desistindo após a chegada de familiares, segundo um PM que esteve no local do acidente, na Vila Madalena, na zona oeste da capital paulista.

As informações são do programa "Fantástico", da Rede Globo, que teve acesso ao inquérito policial sobre o acidente, ocorrido há duas semanas.     Em entrevista à Folha, Gabriella disse que a polícia não pediu para ela fazer o teste. Após o inquérito, Gabriella foi levada para o IML (Instituto Médico Legal), onde passou pela avaliação de um médico.     Land Rover que atropelou o administrador Vitor Gurman, 24, na rua Natingui, na Vila Madalena     Segundo a reportagem exibida na TV, a jovem não conseguiu fazer o exame chamado de calcanhar-joelho, quando a pessoa deve fazer um "quatro" com as pernas. Falhou ainda em outros dois testes: encostar o dedo no nariz e juntar os dois dedos indicadores. Apesar disso, tinha memória, atenção e concentração preservadas, disse o médico.

Mas, segundo a polícia, não é possível comprovar que Gabriella estava alcoolizada sem o teste do bafômetro. Gabriella disse à Folha ter optado por dirigir porque o namorado Roberto Lima, 34, estava embriagado. Ela chegou a registrar um documento em cartório dizendo que não concordava com o teor do boletim de ocorrência.     A nutricionista Gabriella Guerreiro Pereira deixa o 14º DP acompanhada do advogado José Luis de Oliveira Lima     Na quinta-feira (4), o delegado Manuel Adamuz, do 14º DP (Pinheiros), abriu inquérito para apurar o crime de tentativa de homicídio doloso, quando há intenção de matar. Para o policial, Gabriella assumiu o risco de provocar a morte de Gurman. O inquérito baseia-se, segundo o delegado, no depoimento de duas testemunhas do acidente. Um delas afirmou que o Land Rover estava em alta velocidade (no trecho, a velocidade máxima permitida é de 30 km/h); a outra testemunha disse que Gabriella parecia estar alcoolizada e demonstrava preocupação apenas com o namorado.            

veja também