MENU

Motorista que atropelou advogado se negou a fazer bafômetro

Motorista que atropelou advogado se negou a fazer bafômetro

Atualizado: Sexta-feira, 28 Outubro de 2011 as 12:28

O motorista do carro que atropelou um advogado na manhã desta sexta-feira (28), na orla da Barra, em Salvador, se negou a fazer o teste do bafômetro, segundo informações do delegado João Cavadas, titular da 14ª Delegacia, que está responsável pela apuração do acidente.

O rapaz de 26 anos que conduzia o veículo é filho do secretário da Saúde do Estado da Bahia, Jorge Solla, e prestou depoimento durante a manhã, sendo liberado em seguida.

Segundo o delegado, antes de ir até a delegacia, o jovem foi encaminhado para a Transalvador, onde a carteira de habilitação dele ficou apreendida devido à recusa em realizar o exame para medir o teor etílico no organismo. “A lei prevê ao condutor esse direito de não fazer o bafômetro. Ele entendeu que não deveria fazer”, afirma Cavadas.

A vítima é triatleta e corria na orla quando foi atingida pelo veículo no trecho do Porto da Barra, por volta das 6h. Ele também prestou depoimento durante a manhã e, segundo o delegado, não houve divergência entre as versões apresentadas pelos dois. “Eles contaram basicamente a mesma coisa. O motorista não estava em alta velocidade, não atingiu os carros que estavam estacionados próximos, nem subiu a calçada. A vítima corria fora do calçadão, na pista. Ele não sofreu ferimentos graves, o que indica que a velocidade do carro não era incompatível com a via”, avalia o delegado.

Em depoimento, o motorista não repetiu a versão que relatou no local do acidente sobre seu irmão ter puxado o volante com o carro em movimento. “Aqui ele não contou essa história. Disse que o acidente aconteceu em um momento de distração, o que vamos apurar e deve ser interpretado como ato de imprudência”, relata o titular. Na ocasião, o rapaz também afirmou que o irmão estava embriagado.

O inquérito deve ser concluído em 30 dias e vai contar com o resultado do laudo que será feito a partir de exame médico realizado na vítima. Segundo o delegado, o irmão e as outras pessoas que estavam no veículo serão ouvidas na 14ª Delegacia nos próximos dias.

Festa

O motorista contou que o acidente aconteceu depois que ele buscou o irmão em uma festa de formatura. Segundo testemunhas, o carro estava lotado com oito pessoas. O treinador de triathlon Jonga Pessoa fazia parte do grupo de corrida onde estava o rapaz que foi atropelado. “A gente estava correndo e o carro deles, com oito pessoas supostamente embriagadas, atropelou um atleta nosso. Interceptamos o veículo e chamamos a polícia. Ele não ficou muito ferido. Parece que sofreu luxações no braço esquerdo. Foi atendido aqui e levado para um hospital. Tinham oito pessoas no carro. Seis delas foram embora, todas com sinais de embriaguez. A gente já tinha visto eles momentos antes em um bar na Ladeira da Barra”, relata. Ainda segundo ele, o carro não estava em alta velocidade.    

veja também