MENU

Motorista que invadiu lanchonete estava com habilitação vencida

Motorista que invadiu lanchonete estava com habilitação vencida

Atualizado: Quinta-feira, 16 Dezembro de 2010 as 5:10

O proprietário da lanchonete Marratas, Isidro de Souza Viana, disse nesta quinta-feira (16) que o acidente que matou um homem de 37 anos não é o primeiro ocorrido no cruzamento das ruas do Arouche e Aurora, no Centro de São Paulo. Um carro conduzido por uma vendedora de 45 anos invadiu a lanchonete após colidir com outro automóvel na noite de quarta-feira (15) e atingiu fregueses que estavam nas mesas. De acordo com o boletim de ocorrência, a motorista do carro estava com a carteira de habilitação vencida desde maio.   Ela só invadiu o estabelecimento, no entanto, porque um outro motorista atingiu seu carro antes. Por isso, o caso foi registrado no 3º Distrito Policial, da Santa Ifigênia, como lesão corporal culposa (sem intenção) na direção de veículo automotor.

O dono da lanchonete falou sobre o outro acidente ocorrido no mesmo cruzamento. “No ano passado, dois motoqueiros bateram na porta. A lanchonete estava fechada. Quando cheguei, a porta estava quebrada”, contou Viana, sobre a outra colisão ocorrida em outubro de 2009.   Ele disse que os acidentes acontecem porque o semáforo do cruzamento está constantemente quebrado e, além disso, os motoristas têm medo de parar por questões de segurança. O acidente ocorreu por volta das 22h30 de quarta-feira. Um homem atropelado foi levado para a Santa Casa, onde morreu.

Câmeras registraram o acidente na lanchonete. As imagens mostram três pessoas na mesa do bar. Um dos homens se levanta e, logo depois, o carro invade o bar. Um homem é atingido de lado e a amiga dele é arremessada longe. A vendedora que conduzia o veículo sofreu ferimentos leves e foi levada para o Hospital Nove de Julho. Até as 14h20 desta quinta-feira, não havia informações sobre o estado de saúde dela.

O dono da lanchonete chegou cerca de cinco minutos depois do acidente, quando os bombeiros socorriam as vítimas. Segundo ele, a motorista demorou cerca de 40 minutos para sair do carro. “Ela só saiu quando a família chegou”, contou, acrescentando que a mulher estava muito nervosa. O estabelecimento voltou a funcionar nesta quinta-feira. “O pessoal está meio assustado, não fica muito na frente [perto da porta]”, disse Viana.   O proprietário da lanchonete contou que o carro, que só parou no balcão de mármore do estabelecimento, foi retirado por volta das 4h, após o trabalho da perícia. A outra cliente atingida pelo automóvel acabou socorrida também no Hospital Nove de Julho, de acordo com Viana. Não havia informações sobre o estado de saúde dela até a tarde desta quinta-feira.

Foram quebradas quatro cadeiras e três mesas com o impacto da batida. O balcão ficou com as marcas do carro e uma parte do mármore partiu. O vidro da estufa também quebrou.

O chapeiro Cícero da Silva, de 43 anos, estava no momento do acidente. "Eu estava aqui atrás, não deu para ver quando o carro entrou. Eu escutei o impacto e o carro já estava aqui dentro", contou. Segundo ele, o homem que acabou morrendo chegou a se levantar após ser atingido pelo automóvel, mas desmaiou em seguida. Por volta das 16h20, funcionários da CET tentavam arrumar o semáforo, que piscava apenas o amarelo. Um agente controlava o fluxo de veículos no cruzamento.    

veja também