MENU

MP investiga aluguel de veículos pelo governo do Rio de Janeiro

MP investiga aluguel de veículos pelo governo do Rio de Janeiro

Atualizado: Quarta-feira, 5 Maio de 2010 as 8:46

O MPE (Ministério Público Estadual) do Rio de Janeiro abriu investigação sobre o contrato de aluguel de veículos pela Secretaria de Estado de Saúde e Defesa Civil do Rio de Janeiro. A suspeita é de que houve formação de cartel e superfaturamento na licitação realizada em maio do ano passado, para a locação e manutenção da frota de 111 carros que atuam no combate à dengue no Estado.

No contrato sob investigação do MPE do Rio, a empresa Toesa ofereceu o serviço a R$ 4,89 milhões. O valor unitário do aluguel ficava em R$ 44,8 mil por mês. O preço de mercado de compra do veículo, zero quilômetro, é R$ 34,5 em média, cerca de 10 mil reais a menos. As irregularidades no contrato sob investigação foram denunciadas pelo tenente-coronel bombeiro José Carlos da Cunha, o então diretor da Divisão de Controle de Vetores da Secretaria, que pediu exoneração do cargo depois que nenhuma providência foi tomada. Ele alega estar sofrendo ameaças de morte.

As denúncias já custaram o cargo do subsecretário executivo da pasta, César Romero Vianna Júnior, que também se afastou do cargo. Braço direito do titular da Secretaria de Saúde, Sérgio Côrtes, e seu auxiliar desde os tempos em que o secretário era diretor-geral do Into (Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia), César Romero era o responsável pelos processos de licitação da pasta.

O ex-governador Anthony Garotinho (PR) foi o primeiro a divulgar as denúncias em seu blog na Internet. Nos textos, ele aproveita para acusar o governador Sérgio Cabral Filho (PMDB) e o titular da Secretaria de Saúde, Sérgio Côrtes, de envolvimento nas irregularidades.

Denunciado em março pelo MPE,  por suspeita de desvios cometidos em terceirizações durante a gestão de sua mulher, Rosinha Garotinho, no go o ex-governador usa termos como ''roubalheira'', ''mar de lama'', ''rombo de milhões'' para acusar o adversário.

Hoje, Cabral saiu em defesa de Sérgio Côrtes, ''o melhor quadro da saúde no Brasil'', segundo ele:

''Acho que as medidas estão sendo tomadas de uma maneira muito célere. Esse episódio deve ser apurado e vai ser investigado. O subsecretário teve atitude correta ao se afastar e deixar a comissão de sindicância trabalhar. Enfim, agora, dentro do universo de uma secretaria que estava degradada, o secretário tem feito um trabalho extraordinário e goza da minha confiança. É o melhor quadro da saúde no Brasil''.

A Secretaria de Saúde e a Toesa não se manifestaram sobre o assunto.

veja também