MENU

MP pedirá reconstituição de morte de meninas assassinadas na Grande SP

MP pedirá reconstituição de morte de meninas assassinadas na Grande SP

Atualizado: Quinta-feira, 19 Maio de 2011 as 8:33

O Ministério Público de São Paulo vai pedir a reconstituição do assassinato das amigas Elaine Gomes da Cruz e Raizza Tavares, de treze anos, em Santana de Parnaíba, na Grande São Paulo. Nesta quarta-feira (18), a delegada Fabiana Faria de Paula Abdallah disse que, “pela autoria”, o caso está esclarecido. Os dois suspeitos têm 15 anos e estudavam na mesma escola das jovens – um deles, apontado como “executor” das mortes pela polícia, mantinha um relacionamento amoroso com Elaine. A delegada afirma que os dois “parecem frios”. “Talvez eles não tenham exatamente a dimensão do que fizeram”, disse.

As meninas estavam desaparecidas desde 5 de maio e foram encontradas mortas no sábado (13). Segundo a polícia, o adolescente que assistiu aos assassinatos contou uma versão próxima do que mostram as provas. “A versão dele corrobora com todas as provas até então colhidas. Ele [executor] ficou descontrolado porque, a princípio, uma das vítimas insistia que estava grávida, fez o teste quatro vezes. Ele foi comprar o kit e, quando viu que deu negativo, se descontrolou e disse que estava querendo enganá-lo”, contou a delegada.

  A polícia divulgou as imagens de uma câmera da farmácia que mostram os dois meninos comprando o teste de gravidez no dia 5 de maio, mesma data do desaparecimento. A delegada acredita que, depois disso, eles atraíram as adolescentes para uma mata, para a jovem fazer novamente o exame. Uma testemunha contou à polícia ter visto os quatro jovens juntos no local.

As investigações apontam que Elaine e o jovem com quem mantinha um relacionamento amoroso – testemunhas disseram à polícia que não chegava a ser um namoro – caminharam até uma lagoa, enquanto os outros dois adolescentes esperavam à distância.

Segundo o jovem de 15 anos que disse ter assistido à morte, ele e Raizza ouviram Elaine gritar e o barulho de água. Cerca de 20 minutos depois, o adolescente disse ter voltado e dito que a menina “tinha se atolado”. Quando chegaram até o ponto onde a jovem estava caída, a amiga tentou socorrê-la e acabou também afogada, de acordo com as investigações. O adolescente suspeito de ter matado as meninas não confessou os crimes, segundo a delegada, e se manteve calado durante o depoimento formal. Ainda na tarde desta quarta, os jovens serão ouvidos na Vara da Infância e da Juventude de Barueri.

Exumação

A Justiça liberou nesta quarta-feira a exumação dos corpos das adolescentes, mas a polícia disse que ainda não há data para que isso aconteça. Serão feitos exames complementares para definir a causa da morte e confirmar se a jovem estava grávida – o adolescente que deu detalhes do crime declarou, segundo a polícia, que o resultado do teste deu negativo.          

veja também