MENU

Mulher cai em golpe de falsa cartomante e perde R$ 40 mil em MT

Mulher cai em golpe de falsa cartomante e perde R$ 40 mil em MT

Atualizado: Sexta-feira, 26 Agosto de 2011 as 12:19

Uma mulher de 34 anos teve um prejuízo superior a R$ 40 mil após cair no golpe de uma falsa taróloga no município de Sorriso, a 420 quilômetros de Cuiabá. O caso foi registrado pela Polícia Civil, que vai instaurar um inquérito para apurar o episódio. Quando identificada e presa, a suspeita pode responder por estelionato e charlatanismo. O fato foi comunicado na tarde de quinta-feira (25), na delegacia da cidade.

De acordo com o delegado Thiago Damasceno, R$ 40 mil em dinheiro foram entregues para a mulher. Além disso, a vítima rasgou R$ 1,8 mil a pedido da responsável pelo golpe. "Fomos atrás da vidente mas ela tinha deixado a cidade. Deixou alguns objetos na casa, cartões de divulgação e agora tentamos identificá-la", declarou o delegado, em entrevista ao G1 . A vítima deve prestar depoimento à polícia.     Conforme o delegado, a vítima foi persuadida a entregar o montante em troca de supostos serviços que a farsante se propunha a realizar. "A mulher alegava que tinha que 'limpar' o dinheiro [da vítima] para que quando fosse devolvido pudesse trazer novos frutos", pontou a autoridade.

A falsa cartomante atendia em uma residência no bairro Bela Vista. A polícia tenta levantar informações para apurar quem alugou o imóvel e produziu os cartões utilizados para captar clientes. "Precisamos agora é da qualificação dessa pessoa para instaurar o inquérito e representar pela prisão. Essa é a nossa busca", acrescentou o delegado Thiago Damasceno.

Mais vítimas

Embora apenas um caso tenha sido informado até o momento, a Polícia Civil trabalha com a hipótese que a mesma falsa cartomante tenha feito outras vítimas. Conforme o delegado, uma outra pessoa já afirmou ter entregue aproximadamente R$ 5 mil em jóias à suposta cartomante. Para a polícia, a maior dificuldade em lidar com casos desta natureza está no fato de muitas vítimas não procurarem as autoridades devido por vergonha em se expor.

"As pessoas não procuram por ter vergonha em caír em um golpe simples". Para o delegado Thiago Damasceno, a regra é desconfiar sempre. "Que as pessoas desconfiem. Se pedirem dinheiro, então que solicitem apoio da polícia", completou.        

veja também