MENU

Mulher de MS tem bexiga perfurada em cirurgia no útero, diz família

Mulher de MS tem bexiga perfurada em cirurgia no útero, diz família

Atualizado: Terça-feira, 9 Agosto de 2011 as 8:42

Cirurgia reparatória na bexiga da paciente durou cerca de seis horas, diz família. (Foto: Avem/MS)     Uma dona de casa de 48 anos está internada na Santa Casa de Campo Grande há uma semana com suspeita de perfuração na bexiga urinária. A família alega que ela teria sido vítima de erro médico, e que o órgão foi perfurado durante uma histerectomia, cirurgia para a retirada do útero, ocorrida no dia 25 de julho.

O G1 entrou em contato com a assessoria de imprensa da Santa Casa de Campo Grande para comentar o caso. De acordo com o hospital, já foi encerrado o expediente desta segunda-feira (8) e não seria possível entrar em contato com a diretoria do local. A assessoria informou, ainda, que na terça-feira (8) pela manhã vai checar todas as informações e emitirá um parecer sobre o caso.

A filha dela, uma recepcionista de 26 anos, acionou a Associação das Vìtimas de Erros Médicos e registrou boletim de ocorrência na última sexta-feira (5) por lesão corporal culposa. Segundo ela, a vítima teria recebido alta médica, no dia 29, após o primeiro procedimento, mesmo apresentando sintomas da perfuração.

“Ela teve alta pela manhã e, à tarde, começaram os vômitos”, disse ao G1. De acordo com a filha, a mãe apresentava náuseas mesmo antes de ser liberada do hospital, mas, segundo ela, os médicos disseram que era efeito da anestesia.

Foram então, segundo a recepcionista, três dias com dores até que a família levou a paciente novamente à Santa Casa. De acordo com relatos dela no registro da ocorrência, uma equipe de residentes examinou a dona de casa e acionou o médico responsável pela cirurgia.

O profissional reuniu a equipe de residentes no corredor e um deles disse à recepcionista que eles fariam tudo o que pudesse ser feito e todos os procedimentos necessários, mas não disseram, segundo a filha, as causas das dores na paciente.     Polícia vai abrir inquérito para investigar o caso.

(Foto: Avem/MS)     Exames laboratoriais, de acordo com a recepcionista, constataram obstrução intestinal, mas a equipe só poderia confirmar que aquela era a causa da doença após um procedimento cirúrgico. Um dos médicos teria afirmado à filha da paciente que se tratava de complicações no procedimento feito no dia 25.

A operação durou cerca de seis horas, segundo a filha. Durante os procedimentos, um dos membros da equipe médica saiu do centro cirúrgico da Santa Casa e comunicou a respeito da perfuração na bexiga.

De acordo com a filha, a mãe está internada e deve receber alta em breve.

“Vou recorrer a todos os meios que eu puder. É desumano. Só porque a pessoa é humilde acham que podem fazer o que quiserem. Quando insinuamos que era erro médico aí sim eles deram toda a atenção do mundo", afirma a filha.

O caso foi registrado na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) do Centro e depois remetido à 1ª DP. O delegado titular Pedro Espíndola de Camargo, foi solicitado ao Instituto Médico Odontológico Legal (Imol) para exame de corpo de delito na vítima.

“ E um crime de menor potencial ofensivo e seria do juizado especial de pequenas causas, mas diante da complexidade vou determinar a instauração de inquérito. Vamos, agora, colher os depoimentos”, disse Espíndola ao G1.

O presidente da Associação das Vìtimas de Erros Médicos de Mato Grosso do Sul (Avem/MS), Valdemar Moraes de Souza, disse que encaminhou ofícios à Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil em Campo Grande e também ao Conselho Regional de Medicina (CRM), para que acompanhem o caso e tomem providências que julgarem necerrárias.            

veja também