MENU

Mulher e filha de Bola pedem cães de volta à polícia

Mulher e filha de Bola pedem cães de volta à polícia

Atualizado: Sexta-feira, 23 Julho de 2010 as 2:53

A mulher e a filha do ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, conhecido como Bola, foram ao Departamento de Investigações em Belo Horizonte, nesta sexta-feira (23), para pedir de volta os cães apreendidos pela polícia. Bola é apontado pela polícia como executor de Eliza Samudio , desaparecida desde o início de junho.

Os animais foram recolhidos pela Vigilância Sanitária na casa onde Eliza Samudio teria sido morta, em Vespasiano (MG), e levados ao Centro de Controle de Zoonoses de Belo Horizonte a pedido da Polícia Civil.

Um adolescente, suspeito de envolvimento no desaparecimento de Eliza, disse em seu primeiro depoimento à polícia, no Rio de Janeiro, que viu uma mão da jovem ser jogada para cães.

O delegado Edson Moreira autorizou a restituição de dois cães adultos e seis filhotes para a família do ex-policial. Segundo o advogado Zanone Manuel de Oliveira, que defende Bola e acompanhou as duas à delegacia, dois animais - um sharpei e um vira-lata - não serão devolvidos e terão de ser sacrificados, porque contraíram leishmaniose. A  família autorizou o procedimento.

De acordo com nota emitida pelo CCZ, os dois animais que serão sacrificados estavam em péssimas condições de saúde quando foram recolhidas a pedido da Polícia Civil.

Além dos cães, o carro do ex-policial também será restituído à família. O advogado vai pedir também a restituição da arma de Bola, já que ele possuia registro e porte.

Zanone reclama que ainda não há previsão para a polícia reparar os danos feito na casa da família em Vespasiano. "O que mais impressiona são os buracos feitos no muro de arrimo, que podem colocar em risco a segurança do imóvel. Os buracos não foram reparados pela polícia", afirmou. O advogado afirmou que vai entrar com pedido de habeas corpus e revogação da prisão de Bola ainda nesta sexta-feira (23). Ele afirma que assistiu a uma série de contradições apresentadas no depoimento de Sérgio Sales, primo de Bruno, na quinta-feira.

Sales, Bola, o goleiro Bruno de Souza, Luiz Henrique Romão (conhecido por Macarrão) participaram de uma audiência de instrução do menor que foi detido na casa do atleta.

"Diante do que foi apresentado no Juizado da Infância e Juventude, julgo que agora é possível entrar com pedido de habeas corpus e revogação da prisão do meu cliente concomitantemente", disse.

Cães passaram por exames

Os cães passaram por exames na quinta-feira (22) no Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Belo Horizonte, onde estão desde 7 de julho. Um equipe de peritos do Instituto de Criminalística (IC) esteve no abrigo canino, mas os tipos de exames realizados não foram divulgados.

Entenda o caso

Nascida em Foz do Iguaçu (PR), Eliza Samudio se mudou para São Paulo e posteriormente para o Rio. Em 2009, teve um relacionamento com o goleiro Bruno, engravidou e afirmou que o pai de seu filho é o atleta. O bebê nasceu no início de 2010 e, agora, está com a mãe da jovem, em Mato Grosso do Sul.

A polícia mineira começou a investigar o sumiço de Eliza em 24 de junho, depois de receber denúncias de que uma mulher foi agredida e morta perto do sítio de Bruno, em Esmeraldas (MG). Os delegados já consideram Eliza morta.

Em 6 de julho, um menor foi detido na casa do jogador, no Rio, e afirmou à polícia que Eliza está morta. Ele disse que viajou do Rio para Minas Gerais com Eliza e Luiz Henrique Ferreira Romão, amigo de Bruno conhecido como Macarrão. De acordo com o adolescente, os três foram para o sítio do goleiro. Depois, seguiram até outro local, onde um homem identificado como Neném estrangulou a jovem.

Oito pessoas estão presas na Região Metropolitana de Belo Horizonte, por suspeita de envolvimento no desaparecimento da jovem, incluindo Bruno. Todos negam o crime.

No Rio, o goleiro e Macarrão são investigados por suspeita de participação no sequestro da jovem. Os dois também negam.

veja também