MENU

Mulher é rendida por criminosos ao chegar em casa na Zona Sul de SP

Mulher é rendida por criminosos ao chegar em casa na Zona Sul de SP

Atualizado: Terça-feira, 26 Julho de 2011 as 12:57

Uma mulher foi assaltada quando chegava à sua casa no bairro Vila das Mercês, na Zona Sul de São Paulo. A ação dos criminosos foi registrada pela câmera de segurança do prédio em que a mulher mora, na Rua Angaturama. O vídeo foi enviado pela vítima ao SPTV.

As imagens mostram o táxi usado pela mulher parando na porta do condomínio. Quatro homens chegam em duas motos e um deles desce. O homem vai até a calçada para falar com a passageira. Do outro lado, três assaltantes fazem ameaças ao taxista. Segundo a vítima, eles queriam o carro, mas acabaram levando dinheiro e uma televisão portátil. Sete minutos depois, as câmeras mostram outro veículo passando na rua e os mesmos motoqueiros seguindo atrás.  

“Eles pediram para a gente descer do carro. O taxista não conseguia abrir a porta e eu não conseguia destravar. Um deles deu a volta com a arma para mim e eles pediam para dar tudo o que a gente tinha”, disse a radialista Patrícia Santos Irosi, que estava no veículo. “Eu fiquei com muito medo. Nunca tinha passado por isso na vida. Mas deu para ver que eles também estavam nervosos. Isso me deixou preocupada.”

A Rua Angaturama tem mais de 1 km de extensão, é de mão dupla e mesmo de dia quase não tem trânsito. Segundo os moradores, a tranquilidade é apenas aparente, pois nos últimos meses os assaltos têm sido frequentes. Os criminosos agem quase sempre da mesma forma: chegam de moto e rendem as vítimas na porta de casa. “Sempre o garupa que desce com a arma e o outro aguarda para fugir. Já vi tomarem bolsa de mulher, cercar carro com mulher. Geralmente eles preferem mulher”, disse o aposentado Clóvis de Miranda.

Essa incidência de crimes fez com que os moradores ficassem com medo. A aposentada Fátima Gonçalves disse que não dorme sossegada desde que a filha foi assaltada. “Ele [o assaltante] subiu a moto na calçada e prensou ela na parede e falou: ‘Fica quieta. Passa tudo para cá’.”

Apreensivos e inseguros, os moradores já mudaram a rotina. “Para sair às 17h30, 18h, as pessoas ficam pensando: será que não vai acontecer alguma coisa?“, disse a dona de casa Maria Cristina Maier.

Dois suspeitos de outros assaltos já foram presos e identificados. Um deles seria responsável por seis roubos na região, mas isso não foi confirmado pela assessoria da Polícia Militar. Em nota, a corporação diz que faz policiamento ostensivo no bairro.          

veja também