MENU

Mulher ferida em sequestro de ônibus no Rio segue em estado grave

Mulher ferida em sequestro de ônibus no Rio segue em estado grave

Atualizado: Terça-feira, 16 Agosto de 2011 as 4:19

A mulher de 46 anos, que foi baleada no tórax, durante o sequestro a um ônibus , na noite de terça-feira (9), na Avenida Presidente Vargas, no Centro do Rio de Janeiro, segue em estado grave. Ela teve fratura de costela e contusão pulmonar, foi operada e está no CTI. A informação foi confirmada pela Secretaria municipal de Saúde.

Na tarde de quinta-feira (11), o homem de 56 anos que foi atingido com tiro no pescoço quando passava, de carro, próximo ao local do sequestro, teve alta . Ele estava internado no Hospital Souza Aguiar. Já uma outra mulher, de 30 anos, ferida de raspão na coxa, também estava internada no mesmo hospital, mas foi transferida para o Hospital de Clínicas da Penha, na Zona Norte. A unidade informou que não está autorizada a dar informações sobre a paciente.

O outro ferido é um policial militar, atingido na perna. Ele segue internado no Hospital Central da Polícia Militar, sem previsão de alta, segundo a assessoria da Polícia Militar. A quinta vítima foi um homem, de 46 anos, baleado de raspão na perna, que teve alta na mesma noite do sequestro.

Buscas pelo 4º suspeito

Na tarde de domingo (14), agentes da 6ª DP (Cidade Nova) continuam as buscas pelo quarto suspeito de sequestrar o ônibus. Segundo a polícia, ele teve a prisão preventiva decretada pela Justiça na sexta-feira (12).

Outros dois suspeitos do crime estão presos. Eles também tiveram a prisão preventiva decretada. No sábado (13), outro homem, que também chegou a ser preso sob suspeita de participação no sequestro, foi solto após a Justiça decretar seu relaxamento de prisão. Segundo a delegada Sania Burlandi, da 6ª DP, ele é sobrinho do traficante Fernandinho Beira-Mar .

Avenida Presidente Vargas ficou interditada por causa do crime (Foto: Marcos de Paula /Agência Estado/ AE)

  Foram feitos pelos menos 21 disparos, diz perito

Após analisar as imagens feitas pela TV Globo do sequestro do ônibus , o perito em criminalística Mauro Ricart, afirmou, na quinta-feira (11), que foram feitos pelo menos 21 disparos durante a ação. Segundo ele, esse número pode ser maior.

Em depoimento, os dois policiais militares que assumiram a responsabilidade pelos disparos afirmaram que atiraram 15 vezes. Eles entregaram as armas e respondem por lesão corporal.

Além das armas dos policiais, a polícia apreendeu três pistolas, que estavam com os criminosos. Para o perito Mauro Ricart, as armas de todos os policiais que participaram da ação deveriam ser recolhidas.

Um cabo do 5º BPM (Praça da Harmonia) disse à polícia que fez quatro disparos em direção aos pneus traseiros do ônibus. Já um soldado, também do 5º BPM, revelou em depoimento que atirou 11 vezes na direção dos pneus. Na manhã de quinta-feira, a delegada Sania Burlandi, da 6ª DP (Cidade Nova), descartou a possibilidade de algum tiro ter sido disparado de dentro do ônibus.

Laudo do ICCE

Um laudo do Instituto de Criminalistica Carlos Éboli apontou que foram feitos 14 disparos e todos foram feitos de fora para dentro do ônibus. A perícia mostrou, ainda, que há possibilidade do ônibus ter sido atingido por tiros de armas de calibres diferentes.

Na quarta-feira (10), o comandante da Polícia Militar, coronel Mário Sérgio Duarte, admitiu que houve erro dos policiais que atiraram contra o ônibus, mas disse também que há indícios de que um dos disparos tenha sido feito por criminoso. “Nós sabemos que não podemos atirar, salvo em legítima defesa”, disse o comandante.          

veja também