MENU

Mulher suspeita de 32 furtos é presa na região central de Campo Grande

Mulher suspeita de 32 furtos é presa na região central de Campo Grande

Atualizado: Terça-feira, 4 Outubro de 2011 as 8:56

Mulher tem 13 passagens pela polícia

(Foto: Ricardo Campos Jr./G1MS)

  Uma mulher de 42 anos foi presa nesta segunda-feira (3), suspeita de praticar pelo menos 32 furtos na região central de Campo Grande, nos últimos três meses. Segundo o delegado do 1ºDP da Polícia Civil, Wellington de Oliveira, ela faria pelo menos quatro furtos por dia e encara a prática como profissão: tem rotina, horário, locais preferidos, escolhe as vítimas a dedo e ainda criou métodos próprios para cometer os crimes.

De acordo com a polícia, a mulher furtava principalmente celulares e carteiras. “Ela se diz uma especialista em descuido de vítimas”, afirma. A mulher, de acordo com o delegado, é usuária de drogas e já tem 13 passagens por crimes diversos.   Segundo ele, a suspeita age principalmente em pontos de ônibus e costuma distrair as vítimas para tomar objetos. Ela foi flagrada enquanto tentava vender um celular que havia acabado de retirar da bolsa de uma mulher em um desses locais.

“Ela não perde a oportunidade. Ela vem com artimanhas, esbarrando, tossindo, para tirar a atenção das vítimas”, explica Oliveira.

Horário fixo

A suspeita disse, em depoimento, que prefere furtar no período da tarde, pois os pedestres no centro de Campo Grande estão mais distraídos. Ela afirma que sai às ruas somente “depois da novela".

De acordo com a polícia, ela ficava pouco tempo com os objetos furtados. A mulher conseguia vender tudo na região central, próximo do local do crime e logo retornava para local de grande aglomeração para outros furtos.

Oliveira mapeou os tipos de crimes na região central e constatou que o furto representa 40% das ocorrências. O delegado alerta que as pessoas precisam ter cuidado redobrado na região central. “É uma advertência. As pessoas têm que tomar cuidado, principalmente com as bolsas. Ela [a suspeita] era oportunista. Esperava um momento de descuido”, afirma o delegado.          

veja também