MENU

Multas de ônibus com excesso de velocidade aumentam em mais de 1.900 no Rio

Multas de ônibus com excesso de velocidade aumentam em mais de 1.900 no Rio

Atualizado: Segunda-feira, 3 Maio de 2010 as 1:57

No title Em meados de 2008, a psicóloga Guenia Bunchaft, de 58 anos, aguardava para atravessar a rua São Clemente, em Botafogo, depois de sair de uma consulta médica quando um ônibus passou em alta velocidade bem próximo à calçada e acabou atingindo o braço dela. Guenia teve fratura exposta no pulso e foi operada. O motorista do ônibus não prestou socorro à vitima.

- O ônibus passou como um cometa. Tão rápido que eu acho que nem me viu, por isso, não parou.

O exame de corpo delito feito pela psicologa após o acidente mostrou que a lesão afetou 40% do seu braço. Há um mês, ela ganhou na justiça o direito de receber uma pensão mensal de R$ 1,5 mil da empresa.

Essa não é uma situação incomum no Rio de Janeiro, a maioria dos 8.600 ônibus da cidade excede o limite de velocidade. Só no primeiro trimestre deste ano, 11.596 viaturas foram multadas pelo Detran-RJ por estarem acima da velocidade média permitida, número 16,5% (pouco mais de 1.900) superior em relação ao mesmo período do ano passado.

O vice-presidente do Sindicato dos Rodoviários, Oswaldo Garcia Gomes, disse que não há como os ônibus andarem em alta velocidade, pois há nos veículos um mecanismo que impede que eles ultrapassem os 60 km/h permitidos por lei. Os ônibus têm acoplado ao acelerador tacógrafos, equipamentos que registram a velocidade do veículo, mas não impedem que os veículos ultrapassem a velocidade permitida. O equipamento é utilizado para fiscalização das própria empresas. 

O estudante Igor Ferreira, de 15 anos, também foi vítima de um ônibus em alta velocidade em janeiro de 2009. Assim como Guenia, o estudante estava em uma calçada, em Santa Cruz, na zona oeste do Rio. Ele conversava com amigos, quando um ônibus fez uma curva em alta velocidade e subiu com uma das rodas na calçada. O veículo acabou raspando e queimando a perna de Ferreira.

- Eu estava de costas para a rua, se não fosse meu amigo, que me avisou que o ônibus estava vindo, ele tinha pego minha perna mesmo, não ia ter só raspado.

Resíduos do pneu infeccionaram a ferida, resultado da queimadura causada pelo atrito com o pneu do ônibus. O rapaz ficou quatro meses de repouso, sem poder ir à escola, mesmo assim, conseguiu recuperar o tempo perdido no segundo semestre e se formou na oitava série no final do ano. Hoje, o adolescente está totalmente recuperado. Sua família não processou a empresa responsável pelo ônibus pois nem ele nem os amigos conseguiram identificar a linha a qual o carro pertencia.

A Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Rio de Janeiro ( Fetranspor) divulgou em nota que desenvolve em parceria com a Fundação Getúlio Vargas o programa motorista cidadão que já certificou mais de 14 mil motoristas em todo o Estado. O programa trabalha questões comportamentais, como o atendimento aos idosos, além de questões relativas à condução defensiva e estimula a chamada direção cidadã, em linha com o Código de Trânsito Brasileiro. A Fetranspor também ressaltou que as empresas têm um rígido programa de treinamento de condutores que começa nas garagens e tem sequência nas ruas .

De acordo com o Cyro Vidal, presidente da Comissão de Assuntos e Estudos Sobre Direito de Trânsito da OAB de São Paulo, a origem do alto registro de infrações de excesso de velocidade por condutores de ônibus é uma seleção dos condutores mal feita. De acordo com o Código Brasileiro de Trânsito é preciso ter uma habilitação de categoria D para dirigir um ônibus, o que subentende que o condutor tenha no mínimo 21 anos e pelo menos 1 ano de experiência conduzindo automóveis, algumas empresas exigem inclusive que os candidatos tenham um curso de especialização para ônibus. Segundo o advogado o departamento municipal de trânsito deve investigar quando há um registro alto de infrações, entre os fatores que podem levar os condutores a andarem em alta velocidade está o mau treinamento e o excesso de horas trabalhadas, que além de levarem o motorista a exceder na velocidade também podem causar sonolência causando acidentes ainda piores.

Na última terça-feira(27) a Secretaria Municipal de Transportes divulgou um ranking atualizado das empresas de ônibus que receberam o maior número de reclamações dos consumidores nos primeiros três meses de 2010 . A pesquisa que tem como base as queixas feitas ao Disque-Transporte ( 2286-8010) constatou que as cinco piores viações fazem trajetos na Zona Oeste e na Zona Norte da cidade, as regiões mais populosas do município. As empresas Zona Oeste , Campo Grande , Rubanil , Breda Rio e Pégaso). Das 1790 reclamações registradas pela ouvidoria 104 foram em razão de comprometimento à segurança de terceiros.

Secretaria abre licitação para o novo modelo de transporte por ônibus

Nesta quinta-feira a Secretaria Municipal de Transportes apresentou detalhes do novo modelo para a rede de transportes rodoviária que será licitado pela Prefeitura do Rio. Entre as exigências a serem cumpridas pelas empresas concorrentes estão a utilização do bilhete único no valor de R$ 2,40, a renovação da frota até 2016 e a limitação do número de passageiros em cada ônibus. O edital completo será lançado na última semana de maio.

Por Luísa Ferreira

veja também