MENU

Na Alerj, bombeiros recebem apoio de alunos da rede estadual

Na Alerj, bombeiros recebem apoio de alunos da rede estadual

Atualizado: Quinta-feira, 9 Junho de 2011 as 12:01

Bombeiros ganham apoio de alunos da

rede estadual (Foto: Lílian Quaino/G1)

  No quinto dia consecutivo de manifestações nas escadarias da Assembleia Legislativa (Alerj), no Centro do Rio, os bombeiros que protestam contra a prisão de colegas receberam, na manhã desta quinta-feira (9), o apoio de alunos do Colégio estadual Souza Aguiar, que estão sem aulas devido à greve dos professores .

Eles cursam o primeiro e o segundo ano do ensino médio e aproveitaram a folga para se encontrar com os militares acampados. O grupo recebeu do sargento Gilsinei de Jesus Freitas, do G-Mar de Niterói, fitas vermelhas significando o apoio ao movimento da categoria.

"Viemos dar nosso apoio. É importante a participação de todos", disse o estudante Mauro Gomes, junto com as colegas Carolina Cantanhêde, Cláudia Costa Carvalho e Rafaela Fernandes.

O sargento Gilsinei pediu aos jovens que usassem as redes sociais para divulgar o movimento. Os militares esperam receber ainda nesta quinta-feira, na Alerj, a presença de professores. Um apitaço de taxistas também está previsto para acontecer no local.

Bombeiros continuarão presos

Na noite de quarta-feira (8), a juíza Ana Paula Monte Figueiredo Pena Barros, da Auditoria da Justiça Militar do Rio, negouo relaxamento da prisão de 431 bombeiros , segundo informou o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ).

Para a juíza,  não houve  nulidade no auto de prisão em flagrante. Ela considerou que o  pedido de relaxamento de prisão valeria para apenas 431 militares presos listados no auto em flagrante, e não para os 439 detidos, conforme pedira na terça-feira (7) a Defensoria Pública estadual .  O Ministério Público do Rio (MP-RJ) deu parecer favorável na noite de quarta-feira  à manutenção da prisão dos bombeiros presos. 

Frente única

Na tarde de quarta-feira (8), depois de uma reunião que durou duas horas com o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, Sérgio Simões, o presidente da Associação de Cabos e Soldados do Corpo de Bombeiros, Nilo Guerreiro, disse que pretende formular uma proposta ao governo do Estado do Rio estabelecendo um piso salarial de R$ 2. 900 para a categoria e para os policiais militares.

O coronel Sérgio Simões não falou em valores, mas disse que depois desta reunião eles começam a chegar a um entendimento.

Bombeiros raspam cabelo

Bombeiros raspam a cabeça na Alerj em

apoio aos presos (Foto: Tahiane Stochero/G1)

  Também na quarta, os militares que protestaram em frente à Alerj decidiram  raspar os cabelos em apoio aos colegas detidos. O grupo recebeu colchonetes.  

O local virou o principal palco para os protestos da categoria, que reivindica aumento salarial e a libertação dos colegas presos. Muitos motoristas passaram a usar uma fita vermelha nos veículos, em apoio aos militares.          

veja também