MENU

'Não existe trote', diz diretor de Escola Naval após internação de alunos

'Não existe trote', diz diretor de Escola Naval após internação de alunos

Atualizado: Quinta-feira, 20 Janeiro de 2011 as 9:17

Após a internação de 12 alunos da Escola Naval do Rio de Janeiro, o almirante Leonardo Puntel, diretor da instituição, afirmou nesta quarta-feira (19) que a Marinha abriu uma sindicância para apurar o caso. Os estudantes foram hospitalizados depois da primeira semana de aula. Segundo Puntel, não há trote na Escola Naval.

“Nós estamos apurando para ver o que efetivamente aconteceu. Não existe trote na escola naval de maneira nenhuma. existe, sim, atividades físicas, físico-militar, atividades profissionais. tudo isso muito bem planejado”, disse o almirante.

Os jovens têm entre 18 e 21 anos e fazem parte da turma recém-aprovada na Escola Naval, que forma os oficias da Marinha. As primeiras semanas do ano são para o que a Marinha chama de estágio de adaptação à vida militar. Nesse período os alunos fazem exercícios fisícos. De acordo com a Marinha, foi por causa disso que os doze passaram tão mal e tiveram que ser hospitalizados.

Na primeira semana, três estudantes tiveram vômitos e dores abdominais. Depois mais nove também passaram mal. As famílias dizem que eles foram submetidos a exercícios físicos exagerados. A Marinha nega.

Denúncia

Alguns parentes denunciam que a violência dos exercícios físicos seria uma espécie de trote. Os calouros teriam sido obrigados a correr com mochilas e as malas nas costas debaixo de sol forte e sem beber água. A parente de um dos alunos, que não quis se identificar, desabafou: “É muito triste porque é a quebra de um sonho desses jovens que vão para a Marinha querendo exercer a função. Servir a Marinha é de repente um baque muito grande”, disse.

Dos 12 estudantes que passaram mal, 11 estão desde segunda-feira (17) no Hospital Naval Marcílio Dias, no Lins de Vasconcelos, no subúrbio. As famílias informaram que dois deles precisaram ser submetidos a diálise por insuficiência renal. Um outro aluno foi levado pelos pais para um hospital particular e está internado no Centro de Terapia Intensiva também com problemas renais.

De acordo com a nota, 231 futuros aspirantes foram inscritos no curso que faz parte de um processo de adaptação da Escola Naval. As atividades vão até o fim do mês. A Marinha informou que os estudantes internados estão recebendo a assistência necessária e apresentam boa evolução clínica.    

veja também