MENU

'Não quero lágrimas para mim', diz James Blunt, que lança CD 'otimista'

'Não quero lágrimas para mim', diz James Blunt, que lança CD 'otimista'

Atualizado: Quinta-feira, 16 Dezembro de 2010 as 12:03

Pobre James Blunt. O cantor inglês parece estar disposto a tudo para mostrar que não quer mais encharcar suas canções com água, açúcar e lágrimas. Seu recém-lançado terceiro disco, "Some kind of trouble", abandona grande parte da melancolia dos hits anteriores, incluindo "You’re beautiful", a segunda música mais tocada no Brasil em 2006, de acordo com o sistema Crowley de aferição.

"Desde o começo, ele já pareceu que sairia assim, mais otimista", explica, em entrevista por telefone ao G1. "Usei muita guitarra, baixo e batidas. Tive a oportunidade de não ficar limitado ao violão, que é melhor para canções mais tristes. Só escrevi com naturalidade sobre as coisas que me cercavam."

Composto e gravado em um estúdio londrino, o álbum reflete a nova vida de Blunt, que há cinco anos vive em Ibiza, ilha espanhola conhecida por suas praias calmas e boates agitadas. A vida noturna de lá encantou tanto o músico que ele até virou dono de uma danceteria. "É só o meu próprio lugar para ter um pouco de diversão", despista o cantor, que já esteve no Brasil em janeiro de 2009.

As noitadas em Ibiza, claro, aparecem nas letras do novo disco. Como no primeiro single "Stay the night", no qual descreve com desprendimento "um dia perfeito para cantar ‘Billie Jean’ e misturar vodca com cafeína". Seria esse o drinque indicado para virar a noite na pista de dança? "Com certeza, vodca com redbull é demais. Eu tenho certeza que você já experimentou também... Funciona muito bem, não acha?", responde, rindo bastante.

Mas além dos porres comportados, algo a se esperar de um cara que já foi ex-militar da Guerra de Kosovo (1996–1999), ele também demonstra sua admiração pela nova morada por meio de suas aulas de espanhol. "Eu falo um pouco e estou aprendendo. Hablo español perfecto", brinca. "Também já fiz uma versão para 'Carry you home' em espanhol e passei a cantá-la nos países de língua espanhola. Não sei se entendiam o que cantava, mas estava ao menos tentando..."

Mesmo ao buscar um repertório assumidamente mais otimista, os fãs do período mais nebuloso de Blunt ainda poderão ouvir este disco como quem corta uma cebola. "Componho e canto canções que podem funcionar em qualquer situação, para qualquer pessoa", garante. "Quando lanço uma música, ela passa a ser ouvida pelas pessoas... Afeto as pessoas... E não posso controlar como ela vai atuar na vida dos outros."

O cantor cita a música "No tears" para explicar como está se sentindo com o lançamento de "Some kind of trouble". "Eu assumo todas as responsabilidades pelo que eu fiz. Tem um ditado que diz assim: eu fiz a minha cama, então eu deito nela. Não quero mais lágrimas para mim."

Por: Braulio Lorentz

veja também