MENU

'Não quero ser um herói morto', diz Lennon em entrevista 'perdida'

'Não quero ser um herói morto', diz Lennon em entrevista 'perdida'

Atualizado: Quinta-feira, 9 Dezembro de 2010 as 11:32

A rede de TV norte-americana ABC divulgou nesta terça-feira (8) trechos de uma entrevista de John Lennon concedida à revista "Rolling Stone" três dias antes que o ex-beatle fosse assassinado, em 8 de dezembro de 1980. O material, que inclui declarações que permaneciam inéditas, será publicado na próxima edição da revista, que chega na sexta-feira às bancas norte-americanas.

Na entrevista, descrita pela revista como 'as fitas perdidas de Lennon' e ilustrada com um ensaio da célebre fotógrafa Annie Leibowitz, John conta que chegou a pensar em parar com a música em 1975, época em que lançou o álbum de covers "Rock'n'roll". "Comecei a falar no final de 'Just because', e dizia 'E então nos despedimos em Record Plant [nome do estúdio onde o disco foi gravado]'. E uma coisa pequenina no fundo da minha mente me dizia: 'Você está realmente dizendo adeus?'".

Sobre sua relação com os críticos, que a cada novo disco de sua carreira solo pareciam esperar um novo "Sargent Peppers Lonely Hearts Club Band", o ex-beatle foi incisivo: "O que eles querem são heróis mortos, como Sid Vicious, James Dean e tudo isso. E eu não estou interessado em ser a p... de um herói morto".

Segundo Lennon, críticos "gostam apenas das pessoas [artistas] quando elas estão a caminho do topo"."Eles gostam de imaginar que eles criam e destroem as pessoas, mas eles não [fazem isso]. Eles apenas gostam de pessoas a caminho do topo. E eu não posso estar a caminho do topo de novo, eu não posso ter 25 anos de novo, eu não posso ser o que eu era dez anos atrás. Eu não posso ser o que eu fui cinco minutos atrás."

A versão brasileira da revista "Rolling Stone" deve publicar a entrevista com John Lennon na edição de janeiro de 2011.

veja também