MENU

Não tem mais por onde passar, diz caminhoneiro sobre restrições em SP

Não tem mais por onde passar, diz caminhoneiro sobre restrições em SP

Atualizado: Quinta-feira, 29 Julho de 2010 as 9:47

Motoristas de caminhão que circulam em São Paulo para fazer entregas reclamam que está cada vez mais difícil trabalhar na capital paulista. Nesta quarta-feira (28), o prefeito Gilberto Kassab anunciou a ampliação da restrição para os veículos, que não poderão mais acessar a Marginal Pinheiros e as avenidas dos Bandeirantes e Jornalista Roberto Marinho entre 5h e 21h, de segunda a sexta-feira. Para eles, será difícil se adaptar à nova medida.

“Não tem mais por onde passar, o cerco está se fechando. Como que o cliente vai fazer para receber a mercadoria?”, indagou o motorista Marcelo Ribeiro, de 37 anos. Ele sai do Espírito Santo para fazer entregas na Zona Sul da capital paulista e tem como uma das principais vias de seu trajeto a Marginal Pinheiros. “A Avenida dos Bandeirantes seria uma alternativa, mas nela não vai poder também.” Informado pela reportagem do G1 no início da tarde desta quarta sobre as restrições, ele ficou inconformado com a permissão de passagem apenas durante a madrugada. “Eu acho que não vai dar certo. Eu não sei nem o que posso fazer.”

A reação foi a mesma do motorista Adaílton Ferreira, de 40 anos, que sai da Zona Oeste para fazer entregas no ABC. “Preciso passar pela Marginal Pinheiros. Para a Bandeirantes até tem alternativa, mas complica muito. Vamos ter que remanejar para fazer entregas à noite. Acho que não precisava de tantas restrições agora que tem o Rodoanel.”

As restrições começam a valer a partir da próxima segunda-feira (2). O rodízio de Veículos Urbanos de Carga (VUCs) – que acontece entre 10h e 17h - será suspenso, e eles poderão circular pelas vias respeitando apenas o rodízio de veículos, entre 7h e 10h e das 17h às 20h. Antes, os VUCs podiam circular na área de restrição, das 10h às 17h, de acordo com o final da placa: pares tinham permissão nos dias pares e ímpares, em dias ímpares. São considerados VUCs os caminhões com até 6,3 metros de comprimento.

veja também