MENU

'Não vou estender a mão', diz mãe que chamou PM após briga com filho

'Não vou estender a mão', diz mãe que chamou PM após briga com filho

Atualizado: Quinta-feira, 14 Julho de 2011 as 1:28

O choque de descobrir que o filho guardava uma bicicleta, uma moto e um aparelho de som roubados fez a dona de casa Líbia Aparecida Andreolli dos Santos, que mora em Franca, no interior de São Paulo, exigir que o filho de 18 anos se explicasse sobre o ocorrido. O rapaz fugiu quando a mãe chamou a Polícia Militar após uma briga entre os dois – foi com a chegada da PM que a dona de casa descobriu que os pertences haviam sido roubados da casa de um juiz.

“Eu não vou estender a mão. Eu não vou responder por coisa errada de filho. Ele vai arcar com o que ele fez, se ele não roubou e ele acobertou, ele guardou coisa roubada e ele sabe que era errado. Se ele for preso não vou visitar na cadeia e nem levar lanchinho”, afirmou Líbia ao G1 nesta quinta-feira (14).

A dona de casa contou que vinha enfrentando problemas com o jovem, que não a respeitava, mas que ele nunca havia se envolvido com crimes. O rapaz é um de seus seis filhos – o terceiro mais velho. Na madrugada de domingo (10), ela voltou para Franca após cerca de 40 dias em Caraguatatuba, no litoral de São Paulo, onde procurava uma casa para se mudar. O jovem havia ficado sozinho, e quando chegou ao imóvel no domingo estava com uma moto.     “Ele disse que essa moto e o aparelho eram de um amigo, que o amigo estava bêbado e pediu para trazer a moto e deixar aqui”, contou Líbia. “Ele acha que já sabe de tudo da vida, me responde atravessado. Depois que o pai morreu ele acha que é dono do nariz e pode falar comigo de qualquer jeito, e eu não aceito.”

Na quarta-feira (13), os dois começaram a discutir dentro de casa e a mãe tentou bater no filho. Ele revidou, e a mulher resolveu chamar a polícia. “Antes da policia chegar ele saiu de bicicleta. Ele já é maior de idade, sabe que responde pelos atos dele”, disse a mulher.

Quando os policiais chegaram, viram a moto na garagem e, pela placa, descobriram que ela havia sido roubada da casa de um juiz da cidade na madrugada de domingo. Os policiais entraram na casa e encontraram o aparelho de som e a bicicleta – também do juiz. Foi só então que Líbia soube do roubo.

A dona de casa ainda tentou falar por telefone com o filho - “Por acaso você está devendo alguma coisa para alguém? Porque foge quem deve” – disse ela ao telefone. O rapaz, entretanto, não apareceu. “Quando falei que a polícia estava em casa e que as coisas eram roubadas ele só falou que ele não tinha nada com isso. Com essa resposta, eu creio que ele já deveria saber [que a moto era roubada].”

Nesta manhã, acompanhada por investigadores, Líbia conseguiu falar com o filho por telefone. O rapaz disse que já estava longe, que não tinha envolvimento com o roubo e que iria se apresentar com um advogado. “Ele disse que está com medo de ir na delegacia e ser preso, baterem nele. Um investigador chegou a falar com ele no telefone, disse que isso não vai acontecer, e que se ele não aparecer aí é que vai ser procurado como fugitivo”, afirmou a mãe.

A dona de casa pretende se mudar para o litoral de São Paulo com os filhos mais novos ainda nesta semana. “Não vou deixar de viver minha vida por causa dele. Deixei meu endereço e telefone com a polícia. Quem vai estragar a vida dele é ele. Eu não ensinei a roubar.”          

veja também