MENU

Não vou permitir nenhuma "sandice", diz Lula sobre reajustes

Não vou permitir nenhuma "sandice", diz Lula sobre reajustes

Atualizado: Sexta-feira, 18 Junho de 2010 as 7:24

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta quinta-feira (17) que até o final do governo só serão concedidos os reajustes acordados em 2008. Após discursar na reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), Lula afirmou que não vai permitir “nenhuma sandice” que comprometa as contas públicas.

''Você só pode fazer os gastos na hora que você tiver [recursos]. Nenhum setor acabou este ano a questão dos aumentos. O que nós vamos dar de aumento hoje é aquilo que nós tínhamos acordado em 2008, porque nós temos parcelas a cumprir. Tudo isso será totalmente cumprido'', disse. ''Mas, agora, discussão de aumento as pessoas vão ter que esperar o outro governo chegar porque eu não posso comprometer o governo que vier'', afirmou.

Nesta semana, o presidente sancionou a proposta de reajuste de 7,7% aos aposentados que ganham acima do mínimo - aumento que vai representar um gasto extra de mais de R$ 1,6 bilhão. Para compensar, a equipe econômica irá cortar o mesmo valor do Orçamento, principalmente em verbas destinadas a custeio e emendas parlamentares.

Lula também sancionou esta semana um aumento salarial para os funcionários da Câmara dos Deputados de 15%, em média, para os concursados, e de 33%, em média, para os que entraram sem concurso público. O impacto do reajuste poderá chegar a meio bilhão de reais por ano.

Responsabilidade

Apesar de ter concedido os reajustes aprovados pelo Congresso, Lula cobrou ''responsabilidade'' dos políticos. ''As pessoas podem estar disputando uma eleição mas não podem perder o senso de responsabilidade, até porque o povo não vota em quem eles percebem que não tem responsabilidade''.

Lula afirmou que está com o ''juízo perfeito'' e destacou que vai barrar projetos que possam endividar o próximo governo. ''Você pode ficar tranqüilo que estou com juízo perfeito, com a cabeça muito boa, para não permitir que haja nenhuma sandice nesse país''.

O presidente justificou a sanção ao reajuste de 7,7% para as aposentadorias, dizendo que os cortes do Orçamento vão compensar os gastos. ''O governo já tinha concordado com 7%, então a gente estava discutindo para uma diferença de 0,7%. A única exigência que eu fiz para atender os 7,7% era que o Ministério do Planejamento e da Fazenda iriam cortar o Orçamento equivalente ao aumento'', afirmou.

Questionado sobre temores de que a economia esteja excessivamente acelerada, Lula afirmou que ainda há espaço para crescimento. “Eu acho que o Brasil ainda tem espaço para crescer. A minha tese é muito singela: eu não quero que o Brasil fique crescendo no efeito sanfona, num ano cresça 10% e no outro 2%, num ano cresça 11% e no 3%. Se a gente crescer a 5% ou 6% ao ano durante vários anos, de forma sustentável, esse país estará sendo vítima de uma revolução produtiva extraordinária que vai gerar mais venda de jornais, mais emprego para vocês e tudo vai melhorar para nós'', disse.

Por Nathalia Passarinho

veja também