MENU

Índice de mortes por leishmaniose em BH é maior que a média nacional

Índice de mortes por leishmaniose em BH é maior que a média nacional

Atualizado: Sexta-feira, 1 Outubro de 2010 as 1:59

O índice de pessoas que morrem por causa de leishmaniose em Belo Horizonte é maior que a média nacional, segundo dados da Sociedade Mineira de Infectologia. De cada cem casos registrados na cidade, 22 terminaram em mortes, em média. A informação é da infectologista Regina Lunardi.

Uma campanha da Sociedade Mineira de Infectologia alerta para o perigo da leishmaniose. A descoberta e o tratamento precoce podem reduzir os riscos, segundo a especialista.

A pior forma da doença, segundo a infectologista, é a leishmaniose visceral. Ela explica que, na maioria dos casos, o parasita fica hospedado em cães e é transmitido ao ser humano pela picada do mosquito-palha. Ela diz, ainda, que a doença atinge três órgãos principais do organismo: o fígado, o baço e a medula óssea.

Formas agudas da doença provocam lesões graves no paciente em cerca de 15 dias. O principal sintoma da doença é a febre.

De acordo com médicos, um dos motivos do alto índice de casos na capital mineira pode ser a demora em confirmar o diagnóstico. A campanha da Secretaria de Saúde de Belo Horizonte foi criada para orientar os pacientes a procurar atendimento o mais rápido possível, segundo o secretário adjunto de saúde da cidade, Fabiano Pimenta Júnior. As pessoas com sintomas da doença podem fazer um exame gratuito.       Postado por: Guilherme Pilão

veja também