MENU

Índice de partos prematuros em Salvador supera média do país

Índice de partos prematuros em Salvador supera média do país

Atualizado: Quarta-feira, 14 Setembro de 2011 as 10:20

A incidência de partos antes dos nove meses de gravidez tem aumentado no Brasil. Em Salvador, 12% das crianças que nascem em hospitais da rede pública são prematuras. Esse índice supera a média do estado e do país. Em 2007, segundo o Ministério da Saúde, pouco mais de 190 mil crianças nasceram prematuras em hospitais públicos do Brasil. Em 2009, data do último levantamento, o número chegou a 202 mil recém-nascidos, quase 10% do total. Especialistas dizem que a falta do pré-natal é um dos motivos.

Muitas mulheres que chegam para dar a luz não tiveram acompanhamento durante a gravidez ou fizeram pré-natal incompleto. O ideal é que elas façam, pelo menos, sete consultas. Em Salvador, cinco maternidades do estado e 112 unidades básicas municipais oferecem pré-natal. Para o setor de saúde da mulher da prefeitura, muitas não fazem por desconhecimento. “Se fosse mais divulgado, elas saberiam que próximo das casas delas tem um pré-natal. Muitas não sabem", conta a secretária de Saúde de Salvador, Mariete Fonseca.

A pequena Ester deu um susto na família ao chegar um mês antes do previsto. “Todos em minha casa ficaram com muito medo do que aconteceu comigo. Ficaram com medo de eu morrer e ela também", contou a dona de casa Marilene Nascimento.

"Algumas doenças deixam de ser identificadas se a paciente não faz o pré-natal. São doenças como corrimento, infecção urinária, por exemplo, que podem levar ao parto prematuro", alerta a obstetra Sylvia Vianna.

A dona de casa Tertuliana Branco não fez nenhuma. "É muito difícil conseguir pré-natal para fazer em posto de saúde. Ficam marcando para hoje ou amanhã e a pessoa não consegue”, disse.

A assistente administrativa Milena Alves não faltou a nenhuma consulta. "É melhor para a mãe e para o bebê, assim como para a família. Evita problemas futuros", destaca.          

veja também