MENU

Negligência médica em hospital de Cascavel

Negligência médica em hospital de Cascavel

Atualizado: Quarta-feira, 7 Julho de 2010 as 10:35

Mesmo com o rápido transporte de um motorista de ônibus e a solidariedade da cobradora e passageiros, um senhor de 53 anos teve atendimento negado em um hospital de Cascavel e morreu.

De acordo com a assessoria de imprensa da empresa Pioneira Transportes, uma das duas concessionárias do transporte coletivo de Cascavel e responsável pela linha Tarumã, Antônio Fernandes Cardoso, 53 anos, morador do bairro Brasmadeira, começou a passar mal logo depois de embarcar, às 6h30 de segunda-feira.

O motorista foi informado da situação do passageiro, e acionou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Para agilizar o atendimento, o motorista marcou encontro com os socorristas no Terminal Leste de Transbordo e foi até o local sem parar nos pontos.

Entretanto, ao chegar lá, soube que a ambulância ainda estava em deslocamento. Orientado por um fiscal da prefeitura, ele seguiu até o Hospital e Maternidade Santa Catarina, que fica próximo do terminal, para encaminhar Antônio.

Mesmo com os apelos do motorista, da cobradora e de passageiros, funcionários do hospital teriam dito que não poderiam atender Antônio porque não faziam atendimentos pelo Sistema único de Saúde (SUS).

Enquanto eles insistiam, a equipe do Samu chegou até o terminal. O motorista levou Antônio até os socorristas, mas a vítima não resistiu e morreu. Familiares da vítima, muito abalados, contataram a Pioneira Transportes para agradecer pelo apoio prestado à Antônio por parte do motorista e da cobradora.

Resposta

O Hospital e Maternidade Santa Catarina emitiu carta à imprensa, na tarde de ontem, informando que a diretoria decidiu afastar todos os funcionários que estavam de plantão no horário em que Antônio solicitou atendimento. Será aberta uma sindicância para apurar os fatos, considerados “graves acusações”.

veja também