Nível da água baixa e moradores iniciam limpeza em Franco da Rocha

Nível da água baixa e moradores iniciam limpeza em Franco da Rocha

Atualizado: Sexta-feira, 14 Janeiro de 2011 as 1:41

Voltou a chover forte na manhã desta sexta-feira (14) em Franco da Rocha, na Grande São Paulo. Mesmo assim, o nível da água baixou muito. Os moradores já conseguem caminhar por ruas e avenidas que ficaram com mais de um metro de água esta semana e iniciam os trabalhos de limpeza.

As comportas da represa Paiva Castro tiveram que ser abertas, o que jogou muita água no Rio Juqueri, que corta a cidade. Isso contribuiu para o alagamento em Franco da Rocha, que fica no meio do caminho e sofreu com a inundação.

Mesmo com chuva, os moradores estão mais animados, começam a retomar a rotina, como ir ao médico. Em locais onde só se podia chegar de bote, como o prédio da Prefeitura, da Câmara Municipal e do Fórum, já é possível caminhar. Na delegacia, que também ficou embaixo d´água, a manhã foi de faxina.

Em uma das salas da delegacia, tem muita lama, computadores no chão, tudo revirado. De acordo com os policiais, o atendimento ali só deve ser retomado na segunda-feira (17). A Prefeitura reabriu as portas depois de três dias fechada. O prefeito esteve lá, mas só para fazer uma vistoria no imóvel. “Estou despachando de uma escola aqui próximo”, disse Márcio Cecchettini.

História

Os casos de enchente em Franco da Rocha são antigos. Toda vez que chove muito e as comportas da represa Paiva Castro são abertas, ruas e avenidas ficam alagadas. O município foi fundado em 1944, bem antes da construção do reservatório. A represa só foi inaugurada em 1974, 30 anos depois.

O governo do estado prometeu construir quatro piscinões na cidade para diminuir o risco de alagamentos. E anunciou que vai aprofundar a calha do Rio Juqueri por onde escoa a água da represa. Enquanto esperam pelas obras, moradores e comerciantes tentam recomeçar.

veja também