MENU

No Rio, Gabeira ainda não fez nenhuma aliança para enfrentar Eduardo Paes no segundo turno

No Rio, Gabeira ainda não fez nenhuma aliança para enfrentar Eduardo Paes no segundo turno

Atualizado: Quarta-feira, 8 Outubro de 2008 as 12

No Rio, Gabeira ainda não fez nenhuma aliança para enfrentar Eduardo Paes no segundo turno

Depois de receber mais de 800 mil votos no primeiro turno como candidato à prefeitura do Rio, Fernando Gabeira (PV) conseguiu alcançar o segundo lugar e entrou na disputa com o candidato Eduardo Paes (PMDB). Durante entrevista coletiva na segunda-feira,  6 de outubro, Gabeira afirmou não ter fechado ainda nenhuma aliança com partidos para o segundo turno.

"Nesse segundo turno, existem dois objetivos: a busca das lideranças partidárias e a do eleitor. Eu vou me concentrar mais no eleitor, porque nem todas alianças significam votos. Para a prefeitura do Rio, nós queremos uma administração competente e profissional, queremos uma união com pessoas de bem e não com políticos de ficha suja", declarou o candidato do PV.

Gabeira disse que valoriza mais os apoios individuais e que, para tentar se eleger, não vai ter como objetivo compor uma sopa de letrinhas, referindo-se às siglas dos partidos políticos. O candidato afirmou que as legendas que o apoiarem deverão fazê-lo sem achar que terão favores e cargos em troca. Na coletiva, Gabeira disse que vai tentar o apoio do P-SOL e os apoios individuais de Chico Alencar, do partido, e de Alessandro Molon, do PT.

Entre os principais desafios para a prefeitura do Rio, Gabeira destacou ações para combater a epidemia da dengue, a necessidade de se melhorar os transportes públicos, além do interesse em se articular a segurança do Rio, com uma união entre policiais militares e guardas municipais.

Para o segundo turno, o candidato destacou que quer intensificar a campanha na zona oeste, área onde recebeu o menor número de votos. Para Gabeira, agora não é uma questão de corpo a corpo, mas de se concentrar em programações para televisão, rádio e internet, para se comunicar com o maior número de eleitores possível.

"No primeiro turno, já consegui enfrentar uma máquina federal, estadual, municipal e universal", brincou, referindo-se aos candidatos Molon, do PT, Eduardo Paes, apoiado pelo governador Sérgio Cabral, Solange Amaral, apoiada pelo prefeito César Maia, e Marcelo Crivella, apoiado pela Igreja Universal do Reino de Deus.

Para o processo do segundo turno, Gabeira disse ser o candidato mais apto para o Rio, mas afirmou que vai enfrentar Eduardo Paes de forma civilizada, sem desmerecer o trabalho do seu adversário.

Postado por: Claudia Moraes

veja também