MENU

No Twitter, Marina diz que crítica ao PSDB e DEM foi um equívoco

No Twitter, Marina diz que crítica ao PSDB e DEM foi um equívoco

Atualizado: Quinta-feira, 8 Abril de 2010 as 12

A senadora Marina Silva (PV), pré-candidata do PV à Presidência, disse que houve um equívoco na crítica ao PSDB e DEM publicada em seu microblog Twitter. Segundo ela, apenas o governo manobrou para impedir a votação do projeto da ficha limpa a tempo de ser válido para as eleições deste ano.

Horas antes, em seu site, a crítica incluía os partidos de oposição. "Ficha limpa não será adotado nas eleições deste ano graças a manobra do governo, PSDB e DEM", afirmou Marina. A Folha Online noticiou a crítica da senadora.

No entanto, segundo ela, houve um equívoco. "Quando ditei este texto para os meus assessores, eu estava a caminho do aeroporto e atrasada para embarcar. Meus assessores não entenderam corretamente a informação, e a nota incluiu PSDB e DEM como participantes da manobra para adiar a votação do ficha limpa. A minha assessoria pede desculpas pelo erro", afirma a senadora em seu blog.

Nesta quarta-feira, a Câmara dos Deputados decidiu adiar para maio a votação do projeto que estabelece a ficha limpa para os candidatos às eleições. O adiamento impede, na prática, que a nova regra possa valer nas eleições de outubro.

O projeto, de iniciativa popular, foi apresentado à Casa em setembro do ano passado. Os deputados, porém, afirmam que ainda precisam discutir melhor a matéria antes de colocá-la em votação.

O projeto encontra grande resistência na Casa especialmente por estabelecer a inelegibilidade para políticos condenados em primeira instância --desde que a decisão tenha sido tomada por um colegiado de juízes.

Os deputados governistas, em sua maioria, trabalham para que somente condenados em segunda instância fiquem inelegíveis, com o direito de recorrer ao STJ (Superior Tribunal de Justiça) para garantir o efeito suspensivo da condenação.

Na semana passada, a Executiva do PV aprovou resolução que impede a candidatura de integrante do partido condenado por órgão colegiado. Marina diz que o adiamento da votação é conveniente para todos, menos para o PV.

veja também