MENU

'Nós avisamos do risco da obra', diz pai de criança soterrada em SP

'Nós avisamos do risco da obra', diz pai de criança soterrada em SP

Atualizado: Quinta-feira, 7 Julho de 2011 as 2:45

Mecânico aguardava notícias de filho de 3 anos

(Foto: Luciana Bonadio/ G1)

  O mecânico Fernando de Jesus, de 38 anos, que teve dois filhos soterrados em um deslizamento na manhã desta quinta-feira (7), na região de Cidade Ademar, na Zona Sul de São Paulo, afirmou que moradores já haviam alertado aos responsáveis de uma obra de urbanização realizada no local sobre os riscos de acidente. O filho mais velho dele, de 15 anos, foi resgatado, mas Yohan, de 3 anos, continuava soterrado por volta das 13h45. Pelo menos uma pessoa morreu no deslizamento, segundo os Bombeiros.

Fernando de Jesus contou que a obra está sendo realizada acima da casa dele e que os moradores desconfiaram que havia risco de acidente. “Há um mês nós paramos essa obra e nos disseram que não ia ser mais mexido [o terreno]. Avisamos que tinha todo o risco”, afirmou.

Segundo o coordenador da Defesa Civil de São Paulo, Jair Paca de Lima, a obra era realizada por uma empreiteira contratada pela Prefeitura.     O mecânico aguardava notícias do filho fora da área de isolamento montada pelas equipes de resgate. “Eu quero saber como está essa situação”, afirmou.

Ele contou que estava no trabalho quando foi avisado sobre o acidente. Os cinco filhos e a mulher do mecânico estavam na casa no momento em que o terreno veio abaixo. O filho de 15 anos foi levado para um hospital.

Garota disse que irmão irmão de 3 anos tinha ido

buscar iogurte no momento do deslizamento

(Foto: Luciana Bonadio/ G1)

  Sabrina, de 12 anos, que é filha de Fernando e irmã de Yohan, contou que estava no quarto quando o terreno desabou. “Estávamos no quarto e ele foi na cozinha pegar um iogurte. Ele não voltou. Quando vimos, estava tudo cheio de terra. Nós procuramos ele e nada”, disse.

Segundo a garota, o quarto foi o único cômodo da casa que resistiu ao deslizamento. O irmão dela de 15 anos, que foi resgatado, estava sob uma laje.

Operação de resgate

Segundo o coronel Rensi, que comanda a operação do Corpo de Bombeiros, três pessoas foram resgatadas - duas delas com ferimentos leves. Por volta das 14h10, Rensi informou quatro vítimas: além de duas mulheres com ferimentos leves, uma mulher de 18 anos, que pode estar grávida e uma criança de três anos, ainda desaparecida. O Corpo de Bombeiros não sabe dizer se outras vítimas foram resgatadas por moradores ou outros serviços de emergência.

Em nota divulgada na tarde desta quinta, a Prefeitura de São Paulo informou que as obras de urbanização na região, que é considerada de risco e passava por obras de contenção de encosta, começaram há aproximadamente um ano e meio. “Neste período, cerca de 350 famílias foram transferidas por meio do programa de Aluguel Social, que proporciona a locação de um imóvel provisório, até a entrega da moradia definitiva. A área é considerada de risco e passava por obras de contenção de encosta.”

Contenção de encosta

Em nota divulgada na tarde desta quinta, a Prefeitura de São Paulo informou que as obras de urbanização na região, que é considerada de risco e passava por obras de contenção de encosta, começaram há aproximadamente um ano e meio. “Neste período, cerca de 350 famílias foram transferidas por meio do programa de Aluguel Social, que proporciona a locação de um imóvel provisório, até a entrega da moradia definitiva. A área é considerada de risco e passava por obras de contenção de encosta.”          

veja também